Fed amplia escopo do programa voltado para pequenas e médias empresas

200
Prédio do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em Washington. Foto: Divulgação/ Federal Reserve

São Paulo – O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) ampliou o escopo e a elegibilidade do programa Main Street, voltado para conceder empréstimos às pequenas e médias empresas dos Estados Unidos que estavam em boas condições financeiras antes da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

As principais alterações foram a criação de uma terceira opção de crédito, com maior compartilhamento de risco por credores para tomadores de empréstimos com maior alavancagem, redução do tamanho mínimo do crédito para determinados empréstimos a US$ 500.000 e expansão do conjunto de empresas elegíveis para o financiamento.

Sob a nova opção, os credores reteriam uma participação de 15% nos empréstimos que, quando adicionados à dívida existente, não excedem seis vezes a receita do mutuário, ajustados para pagamentos de juros, impostos e depreciação e outros ajustes apropriados. Até então, os credores retinham uma participação de 5% nos empréstimos.

No total, três opções de empréstimo – denominadas nova, prioritária e expandida – estarão disponíveis para as empresas, segundo o Fed.

Além disso, empresas com até 15.000 funcionários ou até US$ 5 bilhões em receita anual passaram a ser elegíveis, em comparação com os termos iniciais do programa, que eram para empresas com até 10.000 funcionários e US$ 2,5 bilhões em receita.

O tamanho mínimo do empréstimo para duas das opções também foi reduzido de US$ 1 milhão para US$ 500.000. Com as mudanças, o Fed acredita que o programa oferecerá mais opções para um conjunto mais amplo de pequenas e médias empresas qualificadas.