Fauci alerta que Ômicron chegará inevitavelmente aos Estados Unidos

Diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Dr. Anthony Fauci / Foto: Casa Branca

São Paulo – O doutor Anthony Fauci, principal conselheiro médico do presidente norte-americano, Joe Biden, disse que embora a nova variante Ômicron do coronavírus ainda não tenha sido detectada nos Estados Unidos, ela chegará “inevitavelmente” ao país.

“Todos nós sabemos que quando há um vírus que já conseguiu alcançar vários lugares do globo, inevitavelmente ele chegará até nós”, disse Fauci em entrevista ao canal “ABC”. “A questão é: estaremos preparados para isso?”

A variante Ômicron foi detectada pela primeira vez na sexta-feira e casos da nova variante foram encontrados na África do Sul, Alemanha, Bélgica e Hong Kong.

De acordo com Fauci, a variante parece ser tão ou mais transmissível do que a Delta e outras mutações do coronavírus. “Ela tem muitas mutações”, disse Fauci, incluindo “um número perturbadoramente grande de mutações na proteína spike, que é a superfície do vírus”.

“A proibição de viagens vai atrasar a entrada do vírus o suficiente para nos prepararmos melhor. E isso é o que as pessoas precisam entender”, afirmou.

Ele alertou que viajar durante a pandemia é “sempre arriscado”, mas se os norte-americanos tiverem que viajar, ele recomendou que sejam vacinados e usem
máscara em voos e aeroportos.

O conselheiro médico chefe disse que os primeiros sinais “sugerem fortemente” que a variante pode ser mais transmissível e pode escapar da proteção de anticorpos monoclonais e “talvez até anticorpos que são induzidos pela vacina.”

Na África do Sul, os casos de novas infecções por covid-19 foram fortemente influenciados pela variante omicron, disse Fauci. No entanto, ele observou que uma proporção relativamente pequena da população do país é vacinada. De acordo com a Johns Hopkins University, pouco mais de 24% das pessoas na África do Sul estão totalmente vacinadas, em comparação com 60% da população dos Estados Unidos.

Questionado se a Ômicron causa doenças mais graves, Fauci disse que atualmente isso ainda é um mistério. Segundo ele, cientistas norte-americanos trabalham com os colegas sul-africanos para identificarem uma resposta para isso.

Ele também disse que estudos e experimentos já estão em andamento para descobrir o quão forte as vacinas são contra o Omicron e estima que levará cerca de duas semanas antes que os cientistas obtenham as respostas.

O consultor médico disse que a melhor maneira de se estar preparado para a variante omicron é estar vacinado e receber uma injeção de reforço assim que possível, além de continuar a aderir a outras recomendações de proteção, como usar máscaras e praticar o distanciamento social.