Excesso de oferta de petróleo diminui e demanda cresce no segundo semestre, diz AIE

Foto: Troy Stoi/ freeimages.com

São Paulo – A Agência Internacional de Energia (AIE) disse que o excesso de oferta trazido pela pandemia global diminuiu, mesmo com o aumento de casos de covid-19 em alguns locais do mundo como a Índia.

Segundo relatório mensal publicado pelo órgão, a demanda global de petróleo está prevista para crescer 5,4 milhões de barris por dia (bpd) em 2021, 270 mil bpd menos do que no reporte anterior.

“A previsão é que haja crescimento concentrado no segundo semestre, com base nas expectativas de que as campanhas de vacinação continuem a se expandir e a pandemia em grande parte fique sob controle”, afirma o documento.

De acordo com a AIE, os estoques de petróleo excedentes nas nações desenvolvidas são agora apenas uma pequena fração dos níveis vistos quando a demanda caiu no ano passado, com cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados contribuindo para drenas o excesso.

“Os estoques mundiais de petróleo inchados que se acumularam durante o choque de demanda covid-19 do ano passado voltaram a níveis mais normais”, disse a AIE. “Mas a crise da India é um lembrete de que as perspectivas para a demanda de petróleo estão atoladas em incertezas. Até que a pandemia seja controlada, a volatilidade do mercado provavelmente persistirá”.

Segundo a organização, a oferta mundial de petróleo aumentou em 330 mil bpd para 93,4 milhões de bpd em abril e aumentará ainda mais em maio, à medida que a aliança da Opep+ continua a reduzir os cortes na produção. Com base no acordo atual, a produção global de petróleo deve crescer 3,8 milhões de bpd de abril a dezembro.

“Para 2021 como um todo, a produção mundial de petróleo se expande em 1,4 milhão de bpd ano a ano contra um colapso de 6,6 milhões de bpd em 2020. Canadá lidera fora da Opep+ com crescimento de 340 mil bpd, enquanto os Estados Unidos devem se contrair por mais 160 mil bpd”, conclui relatório.