EUA preparam proibição a viajantes da Índia para conter pandemia

Foto: Pexels

São Paulo – A partir de terça-feira os viajantes vindos da Índia estarão proibidos de entrar nos Estados Unidos na mais nova abordagem do governo de Joe Biden para controlar a disseminação do novo coronavírus no país.

“Seguindo a recomendação do Centro de Prevenção e Controle de Doenças, o governo restringirá as viagens da Índia a partir de terça-feira”, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki.

De acordo com a imprensa local, a proibição não se aplica a cidadãos norte-americano, residentes permanentes e outros indivíduos isentos, como trabalhadores humanitários. Mas essas pessoas ainda precisam atender aos requisitos de teste e quarentena atualmente em vigor para viajantes internacionais.

Mais cedo, durante coletiva de imprensa da força-tarefa, o coordenador de resposta à pandemia da Casa Branca, Jeff Zients, negou que o governo mudaria o status de viagem para a Índia. Na ocasião, ele disse que as práticas adotadas para todos as pessoas vindas do exterior – dois testes e quarentena – eram eficientes para proteger os norte-americanos.

Quando a proibição entrar em vigor, os Estados Unidos engrossarão uma lista da qual já fazem parte Reino Unido, Canadá, Alemanha, França e Austrália – países que baniram a maioria dos viajantes da Índia nas últimas semanas diante da disparada de casos de covid-19.

A Índia vem registrando recordes sucessivos de contaminações por dia. Nas últimas 24 horas, o país confirmou 386.452 novos casos de covid-19, marcando o maior aumento diário desde o início da pandemia, segundo o Ministério da Saúde do país.

O governo indiano pretende iniciar em 1 de maio a vacinação em massa da população para conter a disparada de casos, que seguiu um afrouxamento das restrições e um grande número de encontros religiosos e políticos, além da propagação de uma nova variante detectada pela primeira vez no país.

ASSISTÊNCIA À ÍNDIA

Os Estados Unidos e outros países aumentaram a assistência humanitária à Índia em meio à crise de saúde públuca, que sobrecarregou os hospitais do país e fez com que muitas pessoas morressem na rua esperando para serem atendidas.

A Índia experimenta uma enorme escassez de oxigênio e suprimentos relacionados, e o governo está lutando para vacinar as pessoas em meio ao aumento de casos de covid-19. O governo Biden inicialmente foi criticado por ser lento em responder à situação, mas desde então anunciou mais de US$ 100 milhões em ajuda emergencial.

Segundo Psaki, dois voos de assistência militar dos Estados Unidos com suprimentos pousaram na Índia hoje. As remessas iniciais incluíram centenas de cilindros de oxigênio, regulador e oxímetros de pulso, cerca de 184 mil testes de diagnóstico rápido e 84 mil máscaras N95.

Ainda de acordo com a porta-voz da Casa Branca, o pacote de ajuda mais amplo dos Estados Unidos anunciado nesta semana inclui 15 milhões de máscaras N95, 1 milhão de testes de diagnóstico rápido, milhares de suprimentos relacionados ao oxigênio e materiais para fabricar vacinas.