EUA anunciam 14 milhões de doses para Brasil e América Latina

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – O governo dos Estados Unidos anunciou a distribuição de 14 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus a países da América Latina e Caribe, incluindo o Brasil, como parte de 80 milhões de doses do estoque norte-americanos que o presidente Joe Biden prometeu enviar a outros países até o final de junho.

Além das doses destinadas à América Latina, outras 16 milhões serão encaminhadas à países Ásia, como India e Vietnã, e 10 milhões à África, totalizando 55 milhões de doses como parte dos imunizantes enviados à Covax, iniciativa global coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Além disso, 14 milhões de doses serão destinadas à prioridades regionais, como Egito, Jordânia, Iraque e Ucrânia. No início do mês, os Estados Unidos anunciaram planos de envio de 25 milhões de doses, 6 milhões para a América Central e do Sul, incluindo o Brasil.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, destacou que 2,5 milhões de doses chegaram em Taiwan no final de semana. O governo também “está comprometido a trabalhar com fabricantes dos Estados Unidos para produzir mais doses de vacinas para compartilhar com o mundo”.

Ao ser questionada sobre o motivo do ritmo de compartilhamento de doses pelos Estados Unidos estar mais lento do que o incialmente previsto pela Casa Branca, Psaki citou desafios logísticos.

“Temos muitas doses para compartilhar com o mundo, mas os desafios logísticos são hercúleos, e vimos isso na medida em que começamos a trabalhar com os países”, afirmou ela, citando que é preciso garantir que informações regulatórias e de segurança sejam compartilhadas com os governos que receberão os imunizantes.

Psaki disse que alguns times de suprimentos precisam de agulhas, álcool e outros itens, e também precisam preparar o transporte para temperaturas próprias, entre outros desafios. Segundo a porta-voz da Casa Branca, às vezes há até mesmo barreiras de idiomas.

“Anunciamos hoje para onde vão novas doses de vacinas, faremos novos anúncios à medida em que forem enviadas e cheguem aos seus destinos, e estamos ansiosos para fazer isso o mais rapidamente possível”, concluiu Psaki.