EUA adicionam maior fabricante de chips da China à lista de sanções

259
O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da China, Xi Jinping / Foto: Casa Branca

São Paulo – O Departamento do Comércio dos Estados Unidos adicionou a maior fabricante de chips da China, a Semiconductor Manufacturing International Corporation (SMIC), e outras 60 instituições chinesas à chamada Lista de Entidades, sancionando-as visando a “proteger a segurança nacional”.

A entrada na lista limita a capacidade da SMIC de adquirir determinada tecnologia dos Estados Unidos, exigindo que os exportadores do país solicitem uma licença para vender à empresa, de acordo com o departamento, em comunicado.

“Esta ação decorre da doutrina de fusão civil-militar da China e evidências de atividades entre SMIC e entidades de interesse no complexo industrial militar chinês”, diz a nota.

O Departamento do Comércio também adicionou mais de 60 outras instituições chinesas à Lista de Entidades, “por ações consideradas contrárias à segurança nacional ou aos interesses da política externa dos Estados Unidos”.

Segundo a nota, a lista inclui entidades que permitem abusos dos direitos humanos; que apoiaram a militarização e reivindicações marítimas ilegais no Mar do Sul da China; que adquiriram itens de origem norte-americana em apoio aos programas do Exército de Libertação Popular; e pessoas que se envolveram no roubo de segredos comerciais dos Estados Unidos.

“As restrições da Lista de Entidades são uma medida necessária para garantir que a China, por meio de sua campeã nacional SMIC, não seja capaz de alavancar as tecnologias dos Estados Unidos para permitir que os níveis de tecnologia avançada nativa apoiem suas atividades militares desestabilizadoras”, de acordo com o secretário de Comércio, Wilbur Ross.