Estudo do CDC mostra que 74% dos infectados foram vacinados em surto nos EUA

Foto: Casa Branca

São Paulo – O Centro de Controle e Prevenção dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) divulgou estudo mostrando que 74% das pessoas infectadas com o novo coronavírus em um surto ocorrido em Massachusetts estavam vacinadas contra o antígeno. Segundo a pesquisa, quatro delas foram hospitalizadas e nenhuma morte foi registrada.

Os novos dados, publicados no Relatório Semanal de Morbidez e Mortalidade da agência norte-americana, também descobriram que pessoas totalmente vacinadas que são infectadas carregam tanto do vírus em seu nariz quanto as pessoas não vacinadas, e podem espalhá-lo para outros indivíduos.

O CDC afirmou em comunicado que o estudo foi o que motivou a agência a reverter os protocolos de uso de máscara na terça-feira. O órgão havia permitido pessoas vacinadas não utilizar nenhum proteção facial, mas agora pede que mesmo os imunizados ande de máscara em locais fechados.

“Esta descoberta é preocupante e foi fundamental para a recomendação de uso de máscaras atualizada do CDC”, disse a diretora da organização, Rochelle Walensky, em um comunicado. “A recomendação foi atualizada para garantir que o público vacinado não transmitisse o vírus inadvertidamente a outras pessoas, incluindo seus entes queridos não vacinados ou imunocomprometidos.”

Os dados publicados na sexta-feira foram baseados em 469 casos de covod-19 associados a vários eventos e grandes reuniões públicas realizadas em julho no condado de Barnstable, Massachusetts, de acordo com o CDC.

Os eventos originários do surto foram realizados em uma cidade sem nome em Barnstable, que abrange Cape Cod e fica nos arredores de Martha’s Vineyard. Aproximadamente 74% dos casos (em número absolutos, 346) ocorreram em pessoas totalmente vacinadas que completaram um esquema de duas doses das vacinas de mRNA ou receberam uma única dose de Johnson & Johnson.

No geral, 274 pacientes, ou 79% dos vacinados, eram sintomáticos, de acordo com o CDC. Os efeitos mais comuns foram tosse, dor de cabeça, dor de garganta, dores musculares e febre. Entre cinco pacientes da Covid que foram hospitalizados, quatro foram totalmente vacinados, de acordo com a agência. Nenhuma morte foi relatada.

Os testes identificaram a variante Delta em 90% das amostras de 133 pacientes. Pelo menos 132 países já apresentam casos da nova cepa de coronavírus, que já é a forma dominante da doença nos Estados Unidos, sendo mais transmissível do que a primeira versão

No entanto, o CDC afirmou que os dados tem limitações. A agência observou que, à medida que a cobertura de vacinação em nível de população aumenta, as pessoas vacinadas provavelmente representam uma proporção maior dos casos da covid-19. Além disso, as infecções assintomáticas podem ser sub-representadas devido ao viés de detecção, disse a agência.

O CDC também disse que o relatório é “insuficiente” para tirar conclusões sobre a eficácia das vacinas autorizadas contra a covid-19, incluindo a variante delta, durante este surto.