Estatal monitora mercado, mas diz que não há periodicidade para reajustes

233
Foto: Divulgação/Petrobras

São Paulo – A Petrobras ressaltou que segue com o processo de monitoramento do mercado internacional, mas que não há periodicidade pré-definida para a aplicação de reajustes nos preços dos combustíveis.

“Qualquer alteração do preço será informada aos clientes e posteriormente publicada no site da companhia”, diz em nota. A expectativa é que haja corte no preço dos combustíveis ainda essa semana, uma vez que o preço do petróleo no mercado internacional teve a pior performance ontem desde 1991.

Para reajustar os combustíveis, a estatal leva em consideração a prática de preços competitivos, preço de paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação, nível de participação no mercado e mecanismos de proteção via derivativos.

Ontem, os preços dos contratos futuros do petróleo terminaram o dia com mais de 24% de queda na pior performance desde 1991, depois que a Arábia Saudita indicou que aumentaria sua produção e venderia seus barris com desconto após o fracasso da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na semana passada.

O contrato do petróleo WTI negociado na Nymex com entrega prevista para abril caiu 24,59%, para US$ 31,13 o barril, enquanto o contrato do petróleo tipo Brent com entrega prevista para maio negociado na ICE recuou 24,10%, a US$ 34,36 o barril.