Estamos começando a ter conversas produtivas sobre estímulos, diz Trump

122
O presidente norte-americano, Donald Trump, em pronunciamento nos jardins da Casa Branca / (Foto: Divulgação/ Casa Branca)

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que está começando a ter conversas produtivas com os democratas
sobre um novo pacote de alívio pelo novo coronavírus, depois de encerrar as negociações na terça-feira.

“Eu encerrei as conversas há dois dias porque elas não estavam funcionando, agora estão começando a funcionar, estamos começando a ter conversas muito produtivas”, disse o presidente, em entrevista à “Fox News”.

Segundo ele, a presidente democrata da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, “quer que aconteça também” um acordo sobre novos estímulos econômicos. “Eu acredito que ela quer que aconteça porque é tão bom para nosso país, nós realmente precisamos”, afirmou.

“Não foi culpa dos trabalhadores, não foi culpa das nossas companhias aéreas que a China fez uma coisa terrível conosco, e não vou me esquecer disso”, disse ele. “Não devemos machucar os trabalhadores”, acrescentou. “Isso foi um flagelo horrível, uma coisa horrível que fizeram.”

Trump afirmou que um resgate de companhias aéreas e mais cheques de estímulo de US$ 1.200 por pessoa estavam de volta à mesa de negociações com os democratas.

“Não foi culpa de ninguém. Eles estavam tentando conseguir coisas, nós estávamos tentando conseguir coisas, isso não ia a lugar nenhum. Eu encerrei. Não queria jogar. E depois eu reabri”, disse o presidente.

Ele havia rejeitado na terça-feira a proposta da oposição democrata de uma nova rodada de ajuda ao novo coronavírus, avaliada em US$ 2,4 trilhões, e ordenou que as negociações fossem suspensas até depois da eleição presidencial de 3 de novembro.

“Fizemos uma oferta muito generosa de US$ 1,6 trilhão e, como sempre, ela não está negociando de boa-fé. Estou rejeitando seu pedido, e olhando para o futuro do nosso país. Instruí meus representantes a pararem de negociar até depois da eleição, quando, imediatamente após minha vitória, aprovaremos uma importante lei de estímulo que se concentra nos norte-americanos trabalhadores
e nas pequenas empresas”, disse.

Horas depois, ainda na terça-feira, ele disse que assinará um projeto de lei independente autorizando cheques de estímulos, e pediu ao Congresso que aprovasse rapidamente ajuda para companhias aéreas e pequenas empresas.

A oposição democrata defendia uma proposta de US$ 2,4 trilhões que incluiria, entre outros pontos, ajuda aos governos estaduais e municipais – ponto fortemente rejeitado pela Casa Branca que, por sua vez, queria um plano de ajuda de US$ 1,6 trilhão.