Enviado de Biden conversa com Salles e França sobre metas climáticas

Cúpula de Líderes sobre o Clima em abril de 2021 / Foto: Casa Branca

São Paulo – O enviado especial do presidente norte-americano, Joe Biden, para o clima, John Kerry, conversou sobre metas climáticas com o ministro brasileiro do Meio Ambiente, Ricardo Sallers, e o de Relações Exteriores, Carlos França, e disse estar ansioso para trabalhar com o Brasil.

“Falei com o Ministro do Meio Ambiente do Brasil Ricardo Salles e o chanceler França hoje sobre as novas e importantes metas climáticas do Brasil. Esperamos continuar a trabalhar juntos para colocar nosso mundo no caminho de um futuro seguro, próspero e sustentável”, disse Kerry, na sexta-feira à noite, em mensagem no Twitter.

No sábado, o Itamaraty disse, também em mensagem no Twitter, que as autoridades conversaram “sobre os desafios comuns no enfrentamento da mudança do clima e sobre os compromissos anunciados na Cúpula do Clima”, reiterando que “Estados Unidos e Brasil seguirão trabalhando juntos para promover a proteção do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável”.

A conversa veio uma semana após a realização da Cúpula de Lideres sobre o Clima, organizada pelos Estados Unidos e realizada virtualmente nos dias 22 e 23 de abril, com a participação de cerca de 40 líderes globais.

Na ocasião, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro anunciou a duplicação dos recursos destinados às ações de fiscalização ambiental, determinou que a neutralidade climática do país será alcançada até 2050, antecipando em 10 anos a sinalização anterior, e repetiu a promessa de eliminar o desmatamento ilegal até 2030.

O discurso foi bem recebido pelas autoridades dos Estados Unidos. “O compromisso do presidente Jair Bolsonaro de eliminar o desmatamento ilegal é importante. Esperamos ações imediatas e engajamento com as populações indígenas e a sociedade civil para que este anúncio possa gerar resultados tangíveis”, disse Kerry, horas após o discurso de Bolsonaro.

No dia seguinte ao discurso, porém, Bolsonaro anunciou cortes no orçamento dedicado ao Ministério do Meio Ambiente, como parte da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021.