Em decisão unânime, Copom reduz Selic em 0,50 ponto percentual, a 3,75%

179
Comitê de Política Monetária (Copom). (Foto: Beto Nociti/BCB)

Brasília – Em meio à pandemia do novo coronavírus, causador da Covid-19, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) reduziu a taxa básica de juros, a Selic, em 0,50 ponto percentual (pp), para 3,75% ao ano (aa) – uma nova mínima histórica. Foi o sexto corte consecutivo na taxa.

A redução representa uma mudança na tendência do Copom, que indicou na reunião passada a manutenção da taxa em 4,25%. Esta indicação, porém, não resistiu ao cenário mundial de pandemia do novo coronavírus e aos impactos que a doença está exercendo sobre a economia mundial e do Brasil.

Segundo o economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini, o cenário mudou de forma muito brusca. “Houve um efeito muito forte do câmbio, também uma perspectiva de uma desaceleração aguda da economia. Então o Banco Central, além de outras medidas como a redução do compulsório, também decidiu reduzir a taxa básica de juros”.

A redução da taxa de juros não terá efeito imediato na economia segundo Agostini sempre há uma defasagem dos efeitos entre nove e doze meses, mas “é importante a redução para manter a confiança na economia. Sabemos que haverá a desaceleração da economia e com isso um aumento na demanda de produtos de primeira utilidade e por isso é importante sinalizar para aumentar a confiança e minimizar o pânico que parece tomar algumas pessoas”, afirmou.

A decisão está em linha com o termômetro CMA. Das 27 instituições ouvidas, 14 previam um corte de 0,50 pp, enquanto oito esperavam corte menos intenso, de 0,25 pp. Três delas esperavam manutenção dos juros em 4,25% ao ano.