Em avaliação preliminar, OMS diz que benefícios superam riscos em vacina da AstraZeneca

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – A Organização Mundial da Saúde (OMS) manteve a recomendação da vacina contra a covid-19 produzida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford sob o argumento de que os benefícios do imunizante superam os riscos. O comitê consultivo global da agência deve anunciar amanhã sua decisão sobre a segurança do imunizante.

“Neste momento, a OMS considera que os benefícios da vacina AstraZeneca superam seus riscos e recomenda que as vacinações continuem”, diz o comunicado.

A recomendação acontece depois que dezenas de países, especialmente na Europa, suspenderam temporariamente o uso da vacina da AstraZeneca após relatos de que o imunizante poderia provocar coágulos sanguíneos em pessoas inoculadas. Pelo menos 30 casos de trombose foram reportados e uma morte.

No comunicado de hoje, a OMS destacou que o tromboembolismo venoso, detectado em vários pacientes após a vacinação com AstraZeneca, é a terceira doença cardiovascular mais comum no mundo e, até agora, não há indícios claros de uma conexão direta entre a doença e a vacina.

“A vacinação contra a covid-19 não reduzirá doenças ou mortes por outras causas. Eventos tromboembólicos são conhecidos por ocorrerem com frequência”, diz a OMS na nota.

“Em extensas campanhas de vacinação, é rotina para os países sinalizarem eventos adversos potenciais após a imunização. Isso não significa necessariamente que os eventos estejam relacionados à vacinação em si, mas é uma boa prática investigá-los. Também mostra que o sistema de vigilância funciona e que controles eficazes estão em vigor”, acrescentou.

A OMS está em contato constante com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) e autoridades regulatórias em todo o mundo para obter as informações mais recentes sobre segurança de medicamentos.