Economia dos EUA não terá força máxima este ano, diz presidente do Fed de Nova York

307
O presidente da unidade do Federal Reserve de Nova York, John Williams / Foto: Fed de Nova York

São Paulo, 17 de abril de 2020 – A economia dos Estados Unidos não deve recuperar-se completamente da pandemia do novo coronavírus até o final desde ano, disse o presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Nova York, John Williams.

Segundo ele, em entrevista à “CNBC”, o setor de construção deve ser um dos primeiros a retomar suas atividades. “Espero que seja possível recuperar um pouco mais rapidamente do que talvez alguns dos outros setores”, disse. “Mas não vejo a economia voltando à força máxima até o final do ano”.

Ontem, em um evento em Nova York, Williams disse que a recuperação será longa, ainda que as medidas adotadas pelo Fed tenham ajudado a apoiar o sistema financeiro. “Sabemos que mais dor econômica ainda está por vir. A realidade é que a escala completa das consequências econômicas ainda é desconhecida”, disse ele, segundo texto preparado para discurso.

Williams destacou as medidas adotadas pelo Fed para tornar liquidez disponível. “Essas ações fortes e oportunas evitaram uma potencial interrupção no fluxo de crédito e estão fornecendo financiamento e estabilidade em um momento de extraordinária volatilidade nos mercados. Embora as tensões nos mercados financeiros não diminuam totalmente até que a pandemia esteja atrás de nós, vimos melhorias significativas nas medidas de liquidez e funcionamento do mercado em partes-chave do sistema financeiro dos Estados Unidos”.

Por isso, ele disse que o Fed também está planejando outros programas para apoiar o fluxo de crédito para famílias, empresas e governos estaduais e locais. “Nosso trabalho não está terminado”, disse. “Mas não podemos agir sozinhos: a política fiscal também está desempenhando um papel criticamente importante”, concluiu.