Economia do Reino Unido deve contrair 11,3% em 2020, maior queda em 300 anos

O secretário do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak / Foto: Governo britânico

São Paulo – A economia do Reino Unido deve encolher 11,3% este ano, a maior queda em mais de 300 anos, devido aos impactos da pandemia de covid-19, que também devem elevar o déficit orçamentário para quase 400 bilhões de libras, disse o Escritório de Responsabilidade Orçamentária (OBR, na sigla em inglês).

A previsão do OBR é de que o Produto Interno Bruto (PIB) britânico aumente 5,5% em 2021 e 6,6% em 2022, antes de desacelerar para 2,3% em 2023 e 1,7% em 2024, alcançando 1,8% em 2025, quando termina o horizonte de projeções. A economia do Reino Unido cresceu 1,3% em 2019.

Assim, segundo o OBR, em relatório, o PIB britânico não deve alcançar os níveis pré-pandemia, no último trimestre do ano passado, até o quarto trimestre de 2022. Já a taxa de desemprego deve alcançar seu pico em 7,5% no segundo trimestre de 2021.

O OBR prevê ainda um déficit de 394 bilhões de libras este ano fiscal, o que representa 19% do PIB e quase o dobro do recorde anterior em tempos de paz. O déficit deve cair para 164 bilhões de libras no próximo ano fiscal (7,4% do PIB), e permanecer perto de 100 bilhões de libras no restante do período de projeções.

Já a dívida, depois de remover o efeito temporário das compras de ativos do Banco da Inglaterra (BoE), será de 91,9% do PIB este ano, e deve continuar aumentando todos os anos e alcançar 97,5% do PIB no ano fiscal de 2025 e 2026, devido aos níveis elevados de endividamento e e déficit.

Além disso, o Escritório de Gestão de Dívida (DMO, na sigla em inglês) do Reino Unido disse, em documento separado, que planeja pegar emprestado o valor recorde de 485,5 bilhões de libras dos mercados de dívida neste ano fiscal.

“A nossa emergência de saúde ainda não acabou. E nossa emergência econômica apenas começou”, disse o secretário do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak, em depoimento ao Parlamento britânico sobre o orçamento. “Nossa prioridade imediata é proteger a vida e o sustento das pessoas”, disse ele.

“O dano econômico provavelmente será duradouro”, disse. “A cicatrização de longo prazo significa que, em 2025, a economia ficará cerca de 3% menor do que o previsto no orçamento de março”.

Sunak anunciou 280 bilhões de libras em gastos públicos este ano “para levar nosso país através do novo coronavírus”. Ele destacou que o impacto econômico da pandemia significa que houve um aumento significativo, mas necessário nos empréstimos e dívidas do governo.

“Esta situação é claramente insustentável a médio prazo. Só pudemos agir da maneira que agimos porque entramos nesta crise com finanças públicas sólidas. E temos a responsabilidade, uma vez que a economia se recupere, de voltar a uma posição fiscal sustentável”, concluiu.