Demanda de petróleo deve crescer em 2021 cerca de 6% acima de 2020, diz AIE

Foto: Troy Stoi/ freeimages.com

São Paulo – A melhoria do ambiente econômico apoiará uma recuperação na demanda global de petróleo de 5,4 milhões de barris por dia (bpd), ou 6% acima dos níveis de 2020. Apesar da recuperação, espera-se que a demanda em 2021 permaneça 3,2% abaixo dos níveis de 2019, informa a Agência Internacional de Energia (AIE) em novo relatório anual sobre a energia.

“As restrições à mobilidade relacionadas à covid-19 continuam a suprimir a demanda de petróleo para transporte na primeira metade do ano, mesmo que o impacto seja muito menor do que no ano anterior”, informa o documento.

Segundo a agência, a demanda aumentará progressivamente no segundo semestre de 2021, à medida que as campanhas de vacinação aumentam e as viagens voltam. No entanto, não se projeta que a demanda de petróleo atinja os níveis anteriores à crise, com a demanda no quarto trimestre de 2021 sendo 1,4 milhões de bpd inferior aos níveis anteriores à crise.

“O uso de petróleo na aviação internacional é a área mais lenta para se recuperar e deve ficar 20% abaixo dos níveis de 2019, mesmo em dezembro de 2021. Excluindo a aviação internacional, a demanda de petróleo deve retornar aos níveis de 2019 nos últimos meses de 2021”, aponta a AIE.

Espera-se que a demanda de petróleo nos Estados Unidos permaneça em torno de 800 mil bod abaixo dos níveis de 2019, principalmente como resultado do impacto contínuo das restrições relacionadas à pandemia durante o início de 2021.

“A demanda na União Europeia permanece 400 mil bpd abaixo dos níveis de 2019 , com a expectativa de que os bloqueios continuados pesem fortemente nos totais anuais de 2021”, informa a agência.

A China é a única grande economia onde a demanda de petróleo em 2020 estava acima dos níveis de 2019, e a demanda em 2021 deve crescer ainda mais para quase 9% acima dos níveis de 2019.

Segundo o reporte da AIE, a demanda de petróleo na China caiu 1,3 milhão de bpd no primeiro trimestre de 2020, quando o vírus atingiu a China e a mobilidade foi reduzida; no entanto, a remoção das restrições e uma forte recuperação econômica durante o resto do ano fizeram com que a demanda por petróleo voltasse a crescer.

O relatório também oferece uma visão mais detalhada sobre a demanda de combustíveis ao longo do ano. Segundo o documento, a procura por gasolina deve aumentar em 1,8 milhão de bpd em 2021 para chegar a 25,4 milhões de bpd, permanecendo 1,2 milhão de bpd abaixo dos níveis pré-Covid.

Já a demanda de diesel deve se recuperar em 1,5 milhão de bpd para 28,5 milhões de bpd em 2021 e deve permanecer 300 mil de bpd abaixo dos níveis de 2019. “O diesel é menos afetado por restrições à mobilidade porque os caminhões operaram em níveis quase normais, já que a demanda por produtos continua sendo mantida durante a pandemia. As novas medidas de restrição implementadas em 2021 não devem restringir a fabricação e o transporte de produtos industriais”, afirma o relatório.

Por fim, a AIE explica que a demanda por combustível de aviação e querosene foi o produto de petróleo mais afetado durante a pandemia. “O tráfego aéreo deve se recuperar lentamente no primeiro semestre de 2021 e aumentar no segundo semestre, quando as populações vulneráveis desenvolvido forem vacinadas”, diz o relatório.

A demanda reprimida pode elevar a receita por passageiro-quilômetro em 50% ano a ano. “Nesse caso, esperamos que a demanda total de combustível de aviação e querosene aumente em 800 mil de bpd em relação aos níveis de 2020 em 2021, uma recuperação de 17%”, conclui o relatório. Apesar desse crescimento, a demanda ainda permaneceria 30% abaixo dos níveis de 2019.