Déficit em conta corrente do Brasil cai em janeiro a US$ 7,253 bi

Brasília – O déficit em conta corrente do Brasil diminuiu 29,62% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, para US$ 7,253 bilhões, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central (BC).

“A redução no déficit decorreu das retrações de US$ 1,4 bilhão e de US$ 0,9 bilhão nas despesas líquidas de serviços e de renda primária, respectivamente, além do aumento de US$ 0,6 bilhão no saldo da balança comercial”, disse o BC em comunicado.

Em 12 meses o déficit em conta corrente soma US$ 9,405 bilhões, ou o equivalente a 0,65% do PIB.

O superávit na conta de capital diminuiu 61,46% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, para US$ 23 milhões. Na conta financeira, o déficit diminuiu 31,49% em janeiro na comparação com o mesmo período do ano passado, para US$ 7,315 bilhões.

O superávit no balanço de pagamentos diminuiu 37,83% em janeiro ante o mesmo período do ano passado, para US$ 439 milhões.

INVESTIMENTOS

O investimento direto no país diminuiu 30,76% em janeiro ante o mesmo período do ano passado, para US$ 1,838 bilhão. Em 12 meses o investimento estrangeiro no país soma US$ 33,35 bilhões, ou o equivalente a 2,32% do PIB.

Os investimentos diretos no exterior (IDE) apresentaram aplicações líquidas de US$ 2,3 bilhões. Nos doze meses encerrados em janeiro de 2021, entretanto, o IDE totalizou resgate líquido de US$ 17,3 bilhões.

Os investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram ingressos líquidos pelo oitavo mês consecutivo, somando US$ 6,2 bilhões em janeiro de 2021, dos quais US$ 4,7 bilhões em ações e fundos de investimento e US$ 1,5 bilhão em títulos de dívida.

Nos doze meses encerrados em janeiro de 2021, os investimentos em carteira no mercado doméstico somaram saídas líquidas de US$ 3,8 bilhões.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA ([email protected])