DBRS afirma rating dos Estados Unidos em AAA com perspectiva estável

Foto: FreeImages.com / Ben Shafer

São Paulo – A agência de classificação de risco DBRS afirmou a nota de crédito dos Estados Unidos em AAA, com perspectiva estável, citando a resiliência da economia, do dólar e do sistema financeiro norte-americano.

“Um setor privado inovador e um sistema de ensino superior de classe mundial, combinados com altos níveis de proteção para as liberdades civis e religiosas individuais, continuam a ser uma atração significativa para os cidadãos, imigrantes e trabalhadores temporários. Os mercados financeiros norte-americanos e o dólar permanecem no centro do comércio mundial e dos fluxos de capital”, diz a DBRS.

Segundo a agência, as políticas de apoio do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) absorveram a maior parte do aumento da emissão de dívida da resposta da covid-19, permitindo ao Tesouro financiar o aumento dos empréstimos a custo líquido zero no momento.

“Os custos dos juros como proporção do PIB [Produto Interno Bruto] caíram como porcentagem do PIB e prevê-se que caiam ainda mais até 2023, apesar do aumento da dívida pública”, diz a DBRS, acrescentando que continuará monitorando o progresso na abordagem de dois desafios principais à frente.

A agência cita ainda a polarização política nos Estados Unidos, que tem tido um impacto adverso sobre a formulação de políticas, especialmente a área fiscal.

“As recentes tensões sobre o teto da dívida são sintomáticas da polarização que pode impactar o rating dos Estados Unidos”, diz a DBRS. “O Congresso está mais uma vez em um caminho que provavelmente levará a negociações difíceis, recorrentes e altamente partidárias sobre o teto da dívida. Os incentivos para fazer concessões são muito fortes, mesmo que apenas na hora final”, acrescenta.

Em acerto entre democratas e republicanos permitiu a suspensão do teto da dívida norte-americana até dezembro, afastando no momento uma chance de calote.

“Consideramos a probabilidade de um default real da dívida ser muito baixa, em parte porque também esperamos que o Tesouro e o Federal Reserve façam tudo ao seu alcance para evitar atrasos no pagamento de títulos de dívida. No entanto, batalhas recorrentes sobre o teto da dívida aumentam o potencial para erros de cálculo. Uma falha em aumentar o teto da dívida e atrasar os pagamentos do governo federal, mesmo por um breve período, provavelmente imporia um tributo significativo à economia”, diz a DBRS.