CVM analisa movimentação atípica de ações da Via Varejo

148

São Paulo – A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu um processo para analisar informações sobre uma movimentação atípica nas ações da Via Varejo, em 21 de dezembro de 2020. A autarquia disse que não comenta processos em andamento.

O processo, que está em etapa de “análise de informações”, não está publico no site da CVM e foi noticiado pelo jornal “Folha de S. Paulo” ontem.

A reportagem do jornal destaca que os papéis da companhia chegaram a desvalorizar mais de 10% nos primeiros minutos do pregão de 21 de dezembro, segundo dados da B3.

Devido à variação brusca de preços, a B3 colocou as ações da Via Varejo em leilão até às 10h13 para atender o procedimento operacional regulatório voltado equilibrar os preços de compra e venda dos ativos.

A interação entre as ofertas de compra e venda resultaram em 1.475 negócios, diz a reportagem. Na sequência, o ativo teria entrado em negociação contínua por menos de três segundos – período que gerou 177 negócios – e então submetido a um novo leilão até às 10h34, que resultou em 2.283 negócios.

Segundo uma fonte informou à “Folha”, as oscilações poderiam ter sido causadas por uma operação feita por meio da corretora Necton. No entanto, outras fontes do mercado especulam que um operador possa ter digitado errado alguma operação.

Edição: Danielle Fonseca (daniele.fonseca@cma.com.br)