CVC registra prejuízo líquido ajustado pró-forma no 4T19

139
Foto divulgação: CVC Viagens

São Paulo – Diante das investigações que apontaram irregularidades contábeis no valor de R$ 350 milhões, referente ao pagamento de fornecedores, a CVC divulgou resultado pró-forma e contábil referente ao quarto trimestre do ano passado e ano de 2019.

Diante disso, a empresa registrou lucro líquido pró-forma ajustado, que engloba ajustes, negativo de R$ 61,8 milhões no quarto trimestre de 2019, ante valor positivo de R$ 47 milhões em 2018. O lucro líquido, por sua vez, ficou negativo em R$ 19,9 milhões no período, revertendo resultado positivo de R$ 74,9 milhões no ano anterior.

No resultado contábil, o lucro líquido ajustado ficou negativo em R$ 199,8 milhões no quarto trimestre, revertendo o valor positivo de R$ 28,1 milhões no ano anterior. Já o lucro líquido encerrou o quarto trimestre negativo em R$ 154 milhões, ante valor positivo de R$ 56 milhões um ano antes.

Em 2019, o lucro líquido pró-forma ajustado foi positivo em R$ 47,4 milhões, queda de 63,3% na base de comparação anual. Já o lucro líquido do ano passado foi negativo R$ 1,87 milhões, revertendo o valor positivo de R$ 123,4 milhões de 2018.

A receita líquida pró-forma teve queda de 14,9% no quarto trimestre e alcançou R$ 373 milhões, enquanto a receita contábil foi de R$ 265,1 milhões no período, queda de 5,6% na base anual.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) normalizado pró-forma foi de R$ 18 milhões no período, 84,8% menor que o visto na comparação anual. Já o ebitda contábil ficou negativo em R$ 111,9 milhões no quarto trimestre, revertendo o resultado positivo de R$ 116,7 milhões.

No âmbito operacional, as reservas totais pró-forma somaram R$ 4,878 bilhões, alta de 9,6% ante igual intervalo do ano anterior, enquanto as reservas totais contábil subiram 27,6% e totalizaram R$ 4,878.

As reservas confirmadas pró-forma tiveram aumento de 8,2% no trimestre, para R$ 4,675 bilhões na base anual de comparação, enquanto as reservas confirmadas contábil alcançaram R$ 4,675 bilhões, alta de 26,3%.

No Brasil, o lucro líquido ajustado pró-forma ficou negativo em R$ 58,7 milhões, revertendo o resultado positivo de R$ 40,6 milhões um ano antes, enquanto o lucro contábil ficou negativo em R$ 200 milhões. Em 2019, o lucro líquido foi de R$ 46,8 milhões, queda de 66,2% na comparação com 2018.

A receita líquida nas operações brasileiras pró-forma totalizou R$ 333,4 milhões no quarto trimestre de 2019, queda de 16,4% na base anual, enquanto a receita contábil caiu 12,4% no período e somou R$ 225,5 milhões.

O ebitda normalizado pró-forma alcançou R$ 30,1 milhões no período, 76,1% inferior que o visto no mesmo trimestre de 2018. Já o ebitda contábil ficou negativo em R$ 100 milhões no período, revertendo resultado positivo de R$ 120 milhões um ano antes.

As reservas totais no Brasil pró-forma somaram R$ 4,127 bilhões, alta de 2,7% ante o mesmo período do ano anterior, enquanto na forma contábil subiu 13% e alcançou 4,127 bilhões. As reservas confirmadas pró-forma foram de R$ 3,924 bilhões no quarto trimestre de 2019, alta de 0,4%, enquanto as reservas na forma contábil alcançaram 3,924 bilhões, 10,8% maior que um ano antes.

Ao final do trimestre, o endividamento líquido da operadora de viagens era de R$ 1,728 bilhão. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebitda ajustado, encerrou o período em 2,95 vezes.