Credit Suisse inclui previsão de seca na avaliação da Engie Brasil

Foto divulgação: Engie Brasil

São Paulo – O Credit Suisse atualizou sua avaliação para o setor de geração de energia para incorporar projeções mais conservadoras das condições hidrológicas, mostrando preferência pela a Engie Brasil devido à estimativa de retorno total próximo a 24,9%.

A casa elevou a estimativa de ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia e manteve a recomendação em “outperform” (equivalente à compra), reduzindo o preço-alvo para R$ 47,40, de R$ 51,90.

“Atualizamos nosso modelo para incluir nossa nova previsão macro para o setor de geração de energia, resultados mais recentes da companhia e novos contratos fechados, extensões das concessões devido ao acordo do risco hidrológico (GSF), revisar o GSF e estimativas de preços e atualizar investimentos e partida operacional para projetos em construção”, disseram Carolina Carneiro e Rafael Nagano, em relatório a clientes.

A avaliação considera que a companhia tem um bom histórico de alocação de capital e sólida geração de fluxo de caixa, fatores que consideram não estar totalmente precificados nos níveis atuais, além de entrega de rendimentos de dividendos numa média de 9,2% para 2021-2023, enquanto a empresa cresce nos segmentos de geração e transmissão renováveis.

As ações EGIE3 encerraram o pregão desta segunda-feira com alta de 1,39%, a R$ 41,30.