SP vacinará toda população do estado contra covid até 31 de outubro

Doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. (Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo)

São Paulo – O estado de São Paulo antecipou de 31 de dezembro para 31 de outubro o prazo para vacinar a população paulista com mais de 18 anos contra a covid-19. A informação foi divulgada pelo governador João Doria no Twitter e reiterada durante um pronunciamento.

A previsão do governo de São Paulo é de que em julho sejam vacinadas pessoas de 55 a 59 anos (entre os dias 1 e 20) e profissionais de educação (dias 21 a 31). Em agosto, serão vacinadas pessoas com 50 a 54 anos (dias 2 a 16) e com 45 a 49 anos (dias 17 a 31). Em setembro, está prevista a vacinação de pessoas com 40 a 44 anos (dias 1 a 10), com 35 a 39 anos (dias 11 a 20) e 30 a 34 anos (dias 21 a 30). Em outubro, serão vacinadas pessoas com 25 a 29 anos (dias 1 a 10) e de 18 a 24 anos (dias 11 a 31).

A coordenadora geral do programa estadual de imunização do governo paulista, Regiane de Paula, disse que este cronograma é baseado no cronograma divulgado pelo Ministério da Saúde e prevendo também a possibilidade de não serem entregues as mesmas quantidades esperadas pelo governo federal, visto que até agora houve sucessivas reduções nas estimativas do ministério.

Ela ressaltou que o governo de São Paulo ainda conta com a chegada de 30 milhões de doses de vacinas adquiridas da SinoVac com chegada prevista em setembro, e que se for o caso estas doses podem ser usadas para cumprir o cronograma dentro do prazo esperado.

Ela acrescentou que a expectativa é de que toda a população de São Paulo esteja vacinada com a segunda dose até o final de outubro ou começo de novembro. “Se eu tiver a vacina do Butantan, farei a segunda dose em 28 dias, estarei muito próximo de fechar a segunda dose dentro deste calendário”, disse ela.

“Se tiver outras, tem que olhar, lembrando que são doze semanas para a vacina da Pfizer e para a vacina da AstraZeneca. Dependendo da vacina, a segunda dose será feita no próprio mês de outubro e se necessário vai até o mês de novembro”, afirmou.

O Ministério da Saúde divulgou no último sábado uma redução no volume de vacinas com previsão de entrega em junho, transferindo a chegada destas doses para o terceiro trimestre deste ano. A revisão ocorreu por causa da redução na quantidade estimada de entrega de vacinas da AstraZeneca neste mês, de 34,2 milhões para 20,9 milhões.

O cronograma de vacinação do Ministério da Saúde também não está considerando ainda a possibilidade de vacinação com a Sputnik V e com a Covaxin, cuja autorização para importação será discutida na sexta-feira pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A autorização para importação, diferentemente da autorização para uso emergencial e do registro da vacina, não autoriza a aplicação do imunizante na população.

Segundo a coordenadora, pessoas com menos de 18 anos estão fora do cronograma no momento porque não há vacinas aprovadas para uso nesta faixa etária, embora haja previsão de que a vacina da Pfizer receba autorização para aplicação em adolescentes, como já ocorre nos Estados Unidos.

Assista abaixo o anúncio e a entrevista coletiva: