Conselheiros defendem a permanência do presidente do Banco do Brasil

Foto divulgação: Banco do Brasil

São Paulo, 4 de março de 2021 – Os conselheiros de administração independentes do Banco do Brasil Hélio Lima Magalhães, José Guimarães Monforte, Luiz Serafim Spinola Santos e Paulo Roberto Evangelista de Lima, manifestaram apoio à gestão do atual presidente da instituição, André Brandão, em referência a rumores de que o executivo colocou o cargo à disposição divulgadas na imprensa.

A informação consta em ata de reunião extraordinária realizada na terça-feira, 2 de fevereiro, em que foi realizado processo de avaliação semestral de desempenho da diretoria executiva. Além dos conselheiros já mencionados, a reunião contou com a participação de André Brandão e do conselheiro Waldery Rodrigues Júnior, que não assinou o manifesto. O conselheiro Fábio Barbosa e a conselheira representante dos funcionários do Banco do Brasil não participaram do evento.

No encontro, o conselho de administração avaliou positivamente a gestão de do atual presidente, destacando que “em apenas cinco meses de mandato, evidenciou sua capacidade de liderar a organização para além dos desafios que se impõem à competitiva indústria financeira, no melhor interesse da companhia e de seus stakeholders, tendo demonstrado alta performance na implementação da estratégia corporativa aprovada por este conselho para o quinquênio 2021/2025.”

Os conselheiros disseram que defendem “a a continuidade da gestão de excelência que vem sendo realizada pelo atual presidente do BB, em conjunto com toda diretoria executiva e seus mais de 90 mil funcionários, ao tempo em que lamentam qualquer possibilidade de que referidas especulações venham a se concretizar.”

O manifesto acrescenta que caso as notícias de substituição se confirmem, “que eventual substituto esteja à altura de seu notável perfil técnico e profissional, aptidões essenciais para se liderar uma instituição com o porte e complexidade do Banco do Brasil.”

ESTRATÉGIA NÃO MUDA

A troca de presidente do Banco de Brasil não vai alterar a estratégia de negócios da empresa, na opinião de Rafael Sperendio, diretor de finanças e relações com investidores da subsidária do BB, BB Seguridade.

“Desde quando o BB Seguridade abriu capital, tivemos várias trocas de presidente e não tivemos nenhuma ruptura em nossa estratégia de longo prazo. Tudo o que prevíamos entregar em 2013 foi feito, desde a mudança estrutural do nosso portfólio de investimentos a entrada ou saída de segmentos de atuação”, afirmou o executivo, em live da Genial Investimentos transmitida na internet.