Confiança do consumidor mantém tendência de recuperação em junho, diz FGV

152

São Paulo – O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu pela segunda vez seguida, em 9,0 pontos em junho em relação a maio, para 71,1 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com isso, o resultado mantém a tendência de recuperação iniciada no mês passado, mas recompôs apenas 44% das perdas sofridas em março e abril.

Por isso, a coordenadora das sondagens da FGV, Viviane Bittencourt, ressalta que ainda é cedo para se vislumbrar uma melhora consistente do consumo das famílias. “As expectativas em relação à economia parecem influenciadas por uma esperança de que a flexibilização das medidas de isolamento social leve a uma melhora das condições do mercado de trabalho, aliviando, assim, as finanças familiares”, diz.

A abertura do dado mensal mostra que o resultado reflete a melhora da percepção sobre o presente e também em relação ao futuro. Em base mensal, o Indice de Situação Atual (ISA) subiu 5,6 pontos, a 70,6 pontos, interrompendo uma sequência de três meses seguidos de queda, enquanto o Indice de Expectativas (IE) avançou 11,1 pontos, a 72,8 pontos, acumulando 17,8 pontos de alta nos dois últimos meses, o que representa 47% das perdas no bimestre anterior.

Entre os quesitos que compõem o ICC, o indicador que mede a satisfação dos consumidores com a situação atual da economia avançou, após três quedas seguidas, enquanto o indicador que mede a satisfação com a situação financeira familiar no momento recuperou-se, após atingir em maio o segundo menor valor da série histórica.

Em relação às expectativas, o indicador sobre a situação econômica nos próximos meses foi o que mais influenciou a alta, retornando a um nível superior à neutralidade, enquanto as perspectivas sobre a situação financeira melhoraram pelo segundo mês seguido. Na análise por faixas de renda, houve recuperação da confiança entre os consumidores de todas as classes, principalmente entre as famílias de menor poder aquisitivo (até R$ 2,1 mil).

A edição deste mês coletou informações de 1.810 domicílios entre os dias 1 e 19 de junho. A próxima divulgação da sondagem do consumidor será em 24 de julho.