Confiança da construção sobe pela quarta vez seguida em agosto, diz FGV

233

São Paulo – O Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu pela quarta vez seguida em agosto, em 4,1 pontos em relação a julho, para 87,8 pontos, conforme dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador recuperou 82% dos pontos perdidos entre março e abril, sob impacto da pandemia de coronavírus.

O resultado reflete a perspectiva menos pessimista dos empresários do setor em relação ao futuro e a melhora sobre o presente. Em base mensal, o Índice da Situação Atual (ISA-CST) aumentou 5,8 pontos, a 81,8 pontos, ficando apenas 4,9 pontos abaixo do maior nível do ano, em fevereiro. Já o Índice de Expectativas (IE-CST) cresceu 2,4 pontos, a 94,1 pontos, recuperando 87,5% das perdas sofridas no bimestre março e abril.

Entre os quesitos, o indicador sobre a situação atual dos negócios subiu pelo terceiro mês seguido e foi o que mais contribuiu para a melhora do ISA, apesar de seguir abaixo do nível pré-pandemia. No âmbito do IE, os subíndices sobre a demanda prevista e a tendência dos negócios também avançaram.

Já o Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) da construção subiu 3,6 pontos percentuais (pp), a 73,5%, refletindo a alta tanto do subíndice da mão de obra, que avançou pelo terceiro mês consecutivo, quanto do de máquinas e equipamentos.

Para a coordenadora de projetos da construção da FGV/Ibre, Ana Maria Castelo, a sondagem da construção civil mostra que a confiança dos empresários do setor está próxima ao patamar pré-covid. “Contudo, mesmo com a retomada a um cenário anterior [à pandemia], o ciclo produtivo foi afetado (…), os negócios continuam fracos, (…) o que significa que a retomada está sendo mais difícil para algumas empresas”, observa.

A edição de agosto da sondagem coletou informações de 652 empresas entre os dias 1 e 24 deste mês. A próxima divulgação ocorrerá em 25 de setembro.