Confiança da construção atinge maior nível desde 2014

235

São Paulo – O Índice de Confiança da Construção (ICST) subiu pela quarta vez seguida, em 2,1 pontos em janeiro em relação a dezembro, a 94,2 pontos, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com isso, o indicador atingiu o maior nível desde maio de 2014.

A abertura do dado mostra que o resultado positivo foi influenciado pela melhora da avaliação tanto sobre o cenário presente quanto em relação às perspectivas para os próximos meses. Para a coordenadora de projetos da construção da FGV/Ibre, Ana Maria Castelo, a sondagem captou a percepção mais favorável do setor em relação à atividade recente.

Em base mensal, o Indice da Situação Atual (ISA-CST) avançou pela oitava vez, em 1,7 ponto, a 84,3 pontos, enquanto o Indice de Expectativas (IE-CST) teve alta de 2,4 pontos, a 104,2 pontos, no maior nível desde setembro de 2012.

Por sua vez, o Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) da construção cedeu 1,0 ponto percentual (pp), a 70,9% entre dezembro e janeiro, influenciada pela queda da mão de obra.

“O primeiro mês deste ano sinaliza o que deve ser a dinâmica dominante ao longo de 2020: um aumento do protagonismo do segmento de edificações, resultado da melhora do mercado imobiliário residencial no ano passado”, observa Ana Maria, coordenadora da FGV.

A edição de janeiro da sondagem coletou informações de 703 empresas entre os dias 2 e 23 deste mês. A próxima divulgação ocorrerá em 21 de fevereiro.