Com novo corte, taxa de juros na Rússia atinge menor nível pós-soviético

176
Praça Vermelha, em Moscou / Foto: Yaroslav Ushakov/freeimages.com

São Paulo – O banco central da Rússia cortou a taxa básica de juros do país em 1,0 ponto percentual (pp), para 4,50%, seu menor nível desde o fim da União Soviética, em 1991, citando os riscos de desaceleração para a inflação devido à pandemia do novo coronavírus.

“Os fatores desinflacionários têm sido mais profundos do que o esperado devido a uma maior duração de medidas restritivas na Rússia e em todo o mundo”, devido à pandemia do novo coronavírus, segundo o banco. O corte de hoje segue uma redução de 0,5 pp em abril.

“As expectativas de inflação de famílias e empresas diminuíram. Nestas circunstâncias, existe o risco de que em 2021 a inflação possa se desviar significativamente da meta de 4%”, diz o comunicado. “A decisão da taxa básica tomada pelo Banco da Rússia visa a limitar esse risco e manter a inflação próxima a 4%”.

Segundo o banco, a contração do Produto Interno Bruto (PIB) da Rússia no segundo trimestre pode ser mais considerável do que o esperado. A previsão é de que o PIB do país encolha entre 4% e 6% em 2020, e recupere-se em 2021 e 2022 com o apoio das medidas do governo e do BC russo.

“Se a situação se desenvolver de acordo com a previsão de base, o Banco da Rússia considerará a necessidade de mais reduções nas taxas nas próximas reuniões”.