Coca-Cola, Pepsi e Heineken deixam de vender produtos na Rússia

94
Latinhas do refrigerante Coca-Cola. / Foto: Pixabay

São Paulo – A Coca-Cola, a PepsiCo e a Heineken são as mais novas empresas a aderirem a lista de companhias que interromperam seus negócios na Rússia. As medidas foram tomadas como resposta à invasão russa na Ucrânia, que já dura quase duas semanas.
A Coca-Cola revelou ontem que está suspendendo suas operações no país. “Nossos corações estão com as pessoas que estão sofrendo os efeitos inconcebíveis dos trágicos eventos na Ucrânia. Continuaremos monitorando e avaliando a situação a medida em que as circunstâncias evoluem”, declarou a companhia, em comunicado.
Logo em seguida, a PepsiCo também anunciou sua retirada da Rússia. A empresa, no entanto, declarou que seguirá oferecendo outros produtos no país, sobretudo itens essenciais, como leite e fórmulas infantis.
“Dados os eventos terríveis que vem acontecendo na Ucrânia, estamos anunciando a suspensão das vendas da Pepsi e de nossas outras marcas globais na Rússia, incluindo 7Up e Mirinda”, declarou a empresa.
Hoje, a fabricante de cervejas Heineken anunciou hoje que está suspendendo a produção e suas vendas de cerveja na Rússia.
“Estamos chocados e tristes com a tragédia que estamos assistindo na Ucrânia. […] A guerra do governo russo é um ataque desaprovado e completamente injustificado. Em resposta à escalada, estamos anunciando os próximos passos”, disse a companhia em seu comunicado, afirmando que está interrompendo o fluxo de dinheiro, pagamento de royalties e dividendos ligados a operação no país.