China impedirá entrada de estrangeiros para conter pandemia

130
Foto: Freeimages.com/ Gary Tamin

São Paulo – A China, que já foi o epicentro da pandemia do novo coronavírus no mundo, tenta manter a trajetória de queda do número de casos da doença com mais medidas de circulação de pessoas, que agora têm como alvo quem chega ao país. Para isso, o governo chinês impedirá a entrada de estrangeiros a partir de sábado.

“Em vista da rápida disseminação da covid-19 em todo o mundo, a China decidiu suspender temporariamente a entrada no país por estrangeiros que possuam vistos ou autorizações de residência ainda válidos até a data deste anúncio, a partir de 0h de 28 de março de 2020”, diz a embaixada do país em nota.

A suspensão, de acordo com a embaixada, é uma medida temporária que “a China é obrigada a tomar à luz da situação da pandemia e das práticas de outros países”.

“A China permanecerá em estreito contato com todos os lados e lidará adequadamente com o intercâmbio de pessoal com o resto do mundo sob circunstâncias especiais. As medidas mencionadas serão calibradas à luz da situação em evolução e anunciadas em conformidade”, afirma o comunicado.

A entrada com vistos diplomáticos, de serviço, de cortesia ou C não será afetada, de acordo com embaixada. Os estrangeiros que irão à China para atividades econômicas, comerciais, científicas ou tecnológicas necessárias ou que precisem de ajuda humanitária de emergência podem solicitar vistos em embaixadas ou consulados chineses. Além disso, a entrada de estrangeiros com vistos emitidos após este anúncio não será afetada.

A China não reportou novos casos de Covid-19 transmitidos dentro do território nacional, segundo a Comissão Nacional de Saúde do país, mas foram registrados 67 novos casos importados, ou seja, de pessoas que se contaminaram antes de chegar no país.

O total de casos da China, tanto importados como domésticos, passou para 81.285, em 31 províncias chinesas. Já o número de mortes subiu em seis, para 3.287. Além disso, há 58 novos casos suspeitos.