China condena parceria militar entre EUA, Austrália e Reino Unido

O presidente da China, Xi Jinping / Foto: Ministério de Relações Exteriores da China

São Paulo, 16 de setembro de 2021 – A China condenou a parceria militar anunciada ontem entre os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália, afirmando que pode prejudicar os interesses deles mesmos, além de minar a paz e a estabilidade da região.

“A cooperação entre os Estados Unidos, o Reino Unido e a Austrália em submarinos nucleares prejudica seriamente a paz e a estabilidade regionais, intensifica a corrida armamentista e mina os esforços internacionais de não proliferação nuclear”, disse o porta-voz no ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, em coletiva de imprensa.

A parceria de segurança trilateral, chamada Aukus, incluirá um plano de 18 meses para fornecer submarinos nucleares à Austrália. Ao anunciar o acordo via videoconferência, o presidente norte-americano, Joe Biden, falou em combater ameaças crescentes no Indo-Pacífico e em manter a região livre e aberta.

Apesar de os líderes dos três países não terem falado nenhuma vez sobre a China, fica claro que o movimento é uma resposta à maior presença chinesa no Mar do Sul da China e agressividade ante Taiwan.

“Os países relevantes devem abandonar a mentalidade de soma zero desatualizada da Guerra Fria e os conceitos geopolíticos estreitos, respeitar os corações das pessoas da região e fazer mais coisas que conduzam à paz e estabilidade regional, caso contrário, eles apenas darão um tiro no próprio pé”, afirmou Zhao.

Segundo ele, a China defende que mecanismos regionais devem ajudar a aumentar a cooperação entre os países da região e não deve visar ou prejudicar os interesses de terceiros. “Os ‘pequenos círculos’ fechados e exclusivos e os pequenos grupos vão contra a tendência dos tempos e vão contra os desejos dos países regionais”, disse.