China condena as novas restrições dos Estados Unidos a vistos de oficiais

162

São Paulo – A China condenou as novas restrições de visto para autoridades chinesas anunciadas ontem pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e apelou que os Estados Unidos parem de interferir nos assuntos internos do país.

“A China apela aos Estados Unidos a corrigirem seus erros e suspender as sanções de vistos contra autoridades chinesas. A China continuará a tomar as medidas adequadas e necessárias com base nas ações dos Estados Unidos e a salvaguardar resolutamente seus legítimos interesses”, disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, em coletiva de imprensa.

De acordo com o porta-voz, em resposta às medidas norte-americanas, a China implementou contramedidas recíprocas contra autoridades dos Estados Unidos e suas famílias, “responsáveis por interferir nos assuntos internos da China”, prejudicando os interesses chineses e afetando as relações sino-americanas.

Ao ser questionado sobre a adição de mais empresas chinesas à lista de sanções Estados Unidos por relações com o Exército chinês, o porta-voz disse que Washington tem generalizado a segurança nacional e “abusado continuamente das medidas de controle de exportação para suprimir e conter empresas específicas em outros países”, danificando regras de livre comércio.