Chefe do Fed de Atlanta defende acomodação mesmo com aceleração da inflação

O presidente do Federal Reserve de Atlanta, Raphael Bostic, discursa no Center for American Program (CAP) / Foto: CAP

São Paulo – O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Atlanta, Raphael Bostic, defendeu a acomodação monetária mesmo com sinais de aceleração da inflação nos Estados Unidos.

Segundo ele, o mercado de trabalho ainda está ocioso, com 8 milhões de pessoas sem emprego no país. “Até que façamos um progresso substancial para fechar essa lacuna, acho que temos que ter nossas políticas em uma situação ou postura fortemente acomodatícia”, disse ele em entrevista para a rede CNBC.

Em abril, a economia norte-americano criou 266 mil vagas, bem abaixo da projeção de 1,05 milhão da Agência CMA, e a taxa de desemprego subiu para 6,1%.

“Estou sempre pensando em cenários. Estamos permanecendo em nossa posição por muito tempo? Não estou vendo isso agora, e não estou realmente pensando que precisamos agir “, afirmou ele. “Então, vou manter meus olhos abertos e definitivamente vou prestar muita atenção, mas agora não é o momento em que devemos pensar em mudar”, acrescentou.

Sobre um cenário de aceleração da inflação, Bostic – que este ano tem direito a voto – considera um sinal positivo. Em abril, o índice de preços ao consumidor norte-americano surpreendeu o mercado ao subir 4,2% em base anual.

“Na verdade, acho que ter um nível saudável de inflação é um sinal de que a economia está saudável, a economia vai ser dinâmica e crescendo e isso deve se traduzir em empregos para as pessoas”, disse ele.

“Portanto, se não tivermos uma economia que empregue as pessoas para que possam, teremos um problema muito mais difícil de enfrentar”, acrescentou.

Desde março do ano passado, o Fed está mantendo a taxa de juros na faixa entre zero e 0,25% ao ano e segue com aquisições mensais de US$ 120 bilhões em títulos do Tesouro e hipotecas.