Casa Branca nega que deve propor divisão de pacote de auxílio

São Paulo — A Casa Branca afirmou que não planeja pedir ao Congresso que divida sua proposta de auxílio ao covid-19 de US$ 1,9 trilhão em duas partes, mesmo enfrentando oposição crescente de republicanos e democratas centristas que dizem que o plano é muito caro.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, escreveu no Twitter que as “necessidades do povo norte-americano são urgentes, desde colocar comida na mesa até tomar vacinas e reabrir escolas. Essas não são questões partidárias. Estamos engajados com uma série de vozes – isto é, democracia em ação – não estamos procurando dividir um pacote em dois.”

Brian Deese, chefe do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, e Jeff Zients, que está coordenando a resposta do presidente Biden à Covid-19, devem informar os democratas do Senado mais tarde sobre o assunto.

O líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, disse que reduzir o tamanho do pacote prejudicaria a economia.

“A coisa mais inteligente que podemos fazer é agir grande”, disse Schumer. “Dado o estado de enfraquecimento da economia, apenas uma ação grande e ousada é necessária. Cortar as coisas drasticamente em um momento em que a economia precisa de um impulso seria irresponsável e prejudicaria milhões de pessoas”.

Muitos republicanos e alguns democratas recusaram o custo da proposta do governo e sugeriram que haveria apoio bipartidário para um pacote menor focado na distribuição de vacinas, potencialmente uma terceira rodada de verificações diretas e algumas outras medidas.

Os republicanos disseram esta semana que incluir certas propostas, como um salário mínimo de US$ 15, afastaria o apoio do Partido Republicano.