Carteira de crédito deve crescer 15,4% em 2020, diz Febraban

131
Foto: Afonso Lima / freeimages.com

São Paulo – A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) prevê o avanço de 1,5%, em base mensal, do saldo total da carteira de crédito em dezembro, a oitava alta seguida em 2020. Caso a estimativa se confirme no próximo dia 28, quando o Banco Central fará a divulgação da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito, o saldo total da carteira anual deve mostrar expansão de 15,4% em 2020, o maior crescimento desde 2012, quando foi registrada expansão de 16,4%.

A estimativa para a carteira com recursos livres é de alta de 1,9%, liderada por linhas beneficiadas pelas compras de fim de ano, como o cartão de crédito à vista (PF), e pela antecipação de recebíveis (PJ). No ano, a carteira com recursos livres deve fechar com expansão de 15,4%.

A carteira com recursos direcionados deve avançar 1,0% em dezembro, com estimativa de crescimento expressivo no ano, de 15,3%, disse a entidade.

Para a carteira de pessoa física, o levantamento prevê elevação de 1,5% em dezembro, com desempenho homogêneo entre os diferentes tipos de recursos (livre e direcionado). A carteira com recursos livres deve crescer 1,5%, puxada pelas linhas de consumo, eventos de final de ano e retomada da atividade econômica, enquanto a carteira com recursos direcionados terá alta de 1,4%, e deve seguir liderada pelo crédito imobiliário. No ano, a carteira destinada às famílias deve crescer 10,8%.

A pesquisa mostra que a carteira de pessoas jurídicas também deve mostrar alta de 1,5% em dezembro e, fechará o ano com expansão de 21,7%. O crescimento no mês deve ser liderado pela carteira com recursos livres, com expansão de 2,3%, enquanto a carteira com recursos direcionados deve apresentar uma alta mensal de 0,2%, refletindo o arrefecimento dos programas públicos de crédito.

CONCESSÃO DE CRÉDITO

Em dezembro, as concessões de crédito devem apresentar crescimento mensal de 3,4%, fechando o ano de 2020 com um volume 4,9% superior ao concedido em 2019.

No ano, o crescimento das concessões foi liderado pelas operações com recursos direcionados, que devem crescer 46,8% em 2020, estimulados pelos programas de crédito público. Já as concessões com recursos livres devem crescer 1,0% no ano, impactadas negativamente pela pandemia e pelo menor consumo das famílias, afetando principalmente as linhas mais cíclicas, como o cartão de crédito e a aquisição de veículos.

Em dezembro, a expansão deve ser puxada pelas concessões com recursos livres às empresas, que devem apresentar alta de 12,4%. O resultado deve ser impulsionado pelas linhas sazonais, como desconto de duplicatas e recebíveis e antecipação de faturas de cartão, beneficiadas pelas compras de final de ano, que proporcionam a antecipação destes recursos pelos lojistas.

Já as concessões para pessoa jurídica com recursos direcionados deverão apresentar retração de 33,1% no mês de dezembro, impactadas pela natural redução dos estímulos dos programas públicos de crédito, embora se mantenham em elevado patamar, cerca de 32% acima do nível de dez/19. De toda forma, no ano, as concessões PJ com recursos direcionados deve quase dobrar na comparação com o ano anterior, com crescimento de 99%, o maior da série, iniciada em 2011.

As concessões de crédito para pessoas físicas devem apresentar alta mensal de 0,6%, com desempenho diferenciado entre os recursos. A linha com recursos direcionados deve avançar 11,0% no mês, devido à alta demanda que tem sido observada pelo crédito imobiliário. As linhas com recursos livres, por sua vez, devem recuar 0,9%, impactadas pelo avanço da doença e por novas medidas restritivas de mobilidade, que prejudicaram o consumo das famílias em dezembro, embora o volume de concessões permaneça em patamar elevado.