Câmara aprova posse de Pedro Sanchéz como primeiro-ministro espanhol

237
Espanha Pedro Sánchez
Primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez. Foto: Divulgação/ Serviço Audiovisual da União Europeia (UE).

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – A Câmara dos Deputados da Espanha aprovou a posse de Pedro Sánchez, do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), como primeiro-ministro do país, colocando fim a quase um ano de governo interino.

Sánchez obteve 167 votos a favor e 165 votos contrários, além de 18 abstenções, na segunda votação. Ele precisava de maioria simples. Na votação anterior, realizada no domingo, Sanchéz precisava de maioria absoluta, ou 176 votos, e teve sua posse rejeitada.

A vitória foi possível devido aos votos favoráveis do partido de esquerda Unidas Podemos, com quem o PSOE fechou um acordo de coalizão logo após as eleições de novembro, e com a abstenção do Esquerda Republicana da Catalunha (ERC).

“É inadmissível que tal situação se repita no futuro, mas é mais inaceitável ainda que isso se prolongue mais um dia em nosso país”, disse Sanchéz, em discurso na Câmara antes da votação. Ele tomará posse oficialmente amanhã, perante o rei da Espanha, Felipe VI.

A aprovação de hoje coloca fim a quase um ano de governo interino no país, depois de duas eleições antecipadas este ano. Sanchéz assumiu o cargo de premiê em maio de 2018, mas com pouco apoio, e não conseguiu aprovar o orçamento de 2029, levando à convocação de novas eleições em abril de 2019.

O PSOE venceu, mas sem maioria no Parlamento. Após meses de negociações, o partido não conseguiu formar uma coalizão de governo e novas eleições foram convocadas em novembro. O resultado se repetiu, o que manteve o impasse sobre a formação de um governo no país.