Cade aprova venda da Rlam pela Petrobras por US$ 1,65 bilhão

Foto divulgação: Petrobras

São Paulo – O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), aprovou, sem restrições, a venda da Refinaria Landulpho Alves (Rlam), em São Francisco do Conde, na Bahia, pela Petrobras, para a MC Brazil Downstream Participações, empresa do fundo de investimentos árabe Mubadala, segundo publicação no Diário Oficial da União.

No dia 1, a companhia participou de audiência da Câmara dos Deputados, requerida pelo deputado Jorge Solla (PT-BA) para discutir os impactos da operação para a empresa e para a sociedade com diversas entidades contrárias à venda, como a Federação Única dos Petroleiros (FUP), Associação Nacional dos Acionistas Minoritários da Petrobras (Anapetro), entre outras.

Em 13 de maio, o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a venda da Rlam, pela estatal, para o fundo Mubadala, dos Emirados Árabes, contrariando pedido de suspensão da operação feita pela FUP e seus sindicatos. Na ocasião, o grupo disse que iria recorrer da decisão.

A estatal anunciou a venda da Rlam para a Mubadala Capital pelo valor de US$ 1,65 bilhão em 24 de março. O preço ficou abaixo do definido pela companhia como referência e abaixo das estimativas feitas por BTG Pactual, XP Investimentos e Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep).

Até o momento, a Rlam foi a única unidade vendida de oito refinarias ofertadas pela Petrobras desde 2019. A venda ocorreu em meio à demissão de Roberto Castello Branco, ex-presidente da estatal.