Braskem busca reduzir alavancagem e retomar nível de grau de investimento

Foto: Divulgação/Braskem

São Paulo – A Braskem quer retomar o nível de grau de investimento com a redução de sua alavancagem para abaixo de 2,5 vez ou menos  até o final do ano, disse Pedro Freitas, presidente da companhia, em entrevista coletiva à imprensa.

“A forma de chegar lá será via geração de caixa, com a melhoria dos spreads [diferença entre o preço do produto e o custo da matéria-prima], mantendo as margens em linha com o mercado internacional, vender e produzir mais, manter os investimentos dentro do orçamento, que esse ano será menos de US$ 800 milhões, ou seja, fazendo a lição de casa”, disse o executivo.

A companhia encerrou o ano passado com alavancagem em 2,94 vez, de 7,11 vez no segundo trimestre, uma queda de 4,17 pontos percentuais (pp). A alavancagem considera a relação entre dívida líquida de R$ 5,245 bilhões e o resultado operacional recorrente de US$ 1,783 bilhão no quarto trimestre.

A companhia estima spreads “saudáveis” para todas as resinas e regiões em 2021, devido à demanda global resiliente, forte demanda de PP e etano-polietileno na Europa e no México, ao modelo integrado de negócios adotado produção de cloro-soda em Maceió, Alagoas, usando sal importado e apesar do impacto na produção nos Estados Unidos relacionado ao inverno.

“2020 foi um ano de muita volatilidade e oscilação do preço do petróleo e conseguimos manter a disciplina para manter a operação. Estamos otimistas para este ano devido à recuperação dos spreads de resinas no mercado global e aos investimentos em produção que fizemos em Alagoas, Delta (EUA) e no México”, avaliou.

Em relação às provisões de R$ 9,2 bilhões relacionadas ao cumprimento dos acordos civis em Alagoas a empresa disse estar discutindo com seguradoras a contratação de um seguro de responsabilidade geral de R$ 1,7 bilhão (US$ 300 milhões), mas disse ter caixa para garantir o pagamento das obrigações. A empresa também disse que transferirá R$ 1 bilhão para a conta bancária específica para o custeio relacionados ao cumprimento das ações civis na região.

A companhia provisionou R$ 4,35 bilhões para este ano e R$ 4,83 bilhões entre 2022 e 2025 para custear os gastos relacionados ao afundamento do solo causado pela atividade extracionista da empresa em quatro bairros da capital alagoana.

Em relação à retomada de sua operação no México, por meio da joint venture com a Idesa, a companhia também disse que espera alcançar 100% da produção até 2025 após o cumprimento dos investimentos previstos nos acordos assinados com a Pemex e a Centro Nacional de Control del Gas Natural (Cenagas), agência do governo mexicano responsável pelo sistema de dutos e transporte de gás natural na região para permitir a continuidade da operação da Braskem Idesa.

Em abril, com a importação de eteno, a companhia espera ter 45% da capacidade da Pemex e 40% da companhia, e assim, atingir 80% da capacidade de produção no México este ano.

PRODUÇÃO E VENDAS

Mais cedo, em teleconferência para investidores, a empresa apresentou um panorama de produção e vendas para o primeiro trimestre de 2021 em comparação ao quarto trimestre do ano passado. No Brasil, a companhia informou que a produção de etileno deve ser similar à do intervalo anterior, apesar da parada no complexo de Petchem no Rio Grande do Sul e do cronograma de fechamento do complexo em São Paulo.

Nos Estados Unidos, haverá redução da produção e nas vendas de PP devido aos impactos do inverno rigoroso em fevereiro na Costa do Golfo.

A companhia informou que o processo de ramp-up realizado no quarto trimestre na nova planta de PP Delta, nos Estados Unidos, progrediu de forma significativa, tanto em volume de produção como em qualidade de material produzido. A produção da nova planta foi de 101 mil toneladas e representou aproximadamente 90% de taxa de utilização, considerando a capacidade de produção trimestral de cerca de 113 mil toneladas.

Na Europa, haverá aumento da produção de PP após parada para manutenção e aumento das vendas após um fraco resultado no trimestre anterior.

No México, a produção deve ser similar à do quarto trimestre, com retomada parcial das operações em janeiro usando um modelo experimental e retorno, no mês passado, do serviço de transporte de gás natural, que havia sido interrompido em dezembro pelo governo local. Na região, a companhia espera redução das vendas devido à menor disponibilidade de produtos em inventário.

O acordo assinado em março com a Pemex e a Cenagas para dar continuidade à operação da Braskem Idesa, permitiu à companhia utilizar gás natural na sua operação de produção e geração de energia elétrica e incluiu a discussão sobre potenciais aditivos ao contrato de fornecimento de etano com a Pemex e o desenvolvimento de terminal de importação da matéria-prima.

A Braskem informou que o atual contrato de fornecimento de etano entre a Braskem Idesa e a Pemex segue em vigor, mas que não consegue prever o resultado de tais discussões com a estatal mexicana, seus acionistas e credores.

2020

O executivo disse que, em relação ao resultado de 2020, os destaques foram os números consistentes, a resolução dos acordos relacionados ao desastre em Alagoas e o posicionamento da empresa em ações ambientais, socais e de governança (ESG, na sigla em inglês).

Em 2020, a companhia apresentou alta de 38% no resultado operacional, para US$ 2 bilhões. No quarto trimestre, houve aumento de 22%, para US$ 833 milhões, devido a melhores spreads de resinas e principais químicos no Brasil, PP nos Estados Unidos e PE no México.

Na frente ESG, a companhia disse que a contratação de energia eólica da usina Casa dos Ventos, a expansão da produção de eteno verde, o início de produção de bio-MEG e as pesquisas para produção de plástico a partir da captura e uso de dióxido de carbono são inciativas com foco em redução, compensação e captura de emissões para atingir a neutralidade em carbono.