Brasileiro não sabe se escuta presidente ou ministro, diz Mandetta

415

São Paulo – O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, disse que o reiterado desrespeito do presidente Jair Bolsonaro às recomendações de distanciamento social feitas por ele e sua equipe geram “dubiedade” nas orientações à população a respeito de como combater a pandemia da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Ontem, durante entrevista ao programa “Fantástico”, da Globo, Mandetta foi questionado sobre a postura de Bolsonaro de cumprimentar apoiadores e permitir aglomerações a sua volta durante uma visita do presidente e do ministro à construção de um hospital de campanha em Goiás.

O repórter questionou se esta relação dele com o presidente é algo preocupante, e Mandetta respondeu: “Ela preocupa, porque a população olha e fala: mas será que o ministro é contra o presidente? Não há ninguém contra nem a favor de nada. O nosso inimigo, o nosso adversário, o nosso problema é o coronavírus. Esse é o nosso adversário, inimigo. Se eu estou ministro da Saúde, eu estou ministro da Saúde por obra de nomeação do presidente.”

“O presidente olha muito também pelo lado da economia. E chama muito a atenção o lado da economia. O Ministério da Saúde entende a economia, entende a cultura e educação, mas chama pelo lado de equilíbrio de proteção à vida. Eu espero que essa validação dos diferentes modelos de enfrentamento dessa situação possa ser comum e que a gente possa ter uma fala única, unificada. Por que isso leva para o brasileiro uma dubiedade: ele não sabe se escuta o ministro da Saúde, se ele escuta o presidente, quem é que ele escuta”, acrescentou Mandetta.

Ele evitou dizer diretamente que o presidente deveria obedecer às recomendações do Ministério da Saúde, mas disse que recomendações médicas deveriam ser acatadas numa situação como essas.

“Eu não posso chegar e falar assim: essa pessoa está fazendo isso aqui, isso é certo, isso é errado. Eu estou dizendo qual é o caminho: vamos por aqui. Se você vai ao médico e ele diz que não coma doce porque você é diabético, tem pessoas que comem doce sistematicamente mesmo sendo. A gente pode dizer pra ela: você vai ter problema, o seu rim vai parar, você pode ter deficit de visão, amputação de perna, e a pessoa continua comendo doce. Mesmo que ela tenha todas as complicações, a gente vai lá para tentar minimizar o problema da visão, do rim, da perna”, afirmou Mandetta.