Bradesco considera abertura de capital ou parceria para o Next

143
Foto: Divulgação/Bradesco

São Paulo, 4 de fevereiro de 2021 – O Bradesco considera a abertura de capital ou a entrada de um parceiro estratégico para o seu banco digital, o Next, mas não no curto prazo. Segundo o presidente do banco, Octavio de Lazari Júnior, essa é uma possibilidade também para a startup Bitz e para Ágora Investimentos no futuro.

“Não diria agora, mas dois anos para frente a abertura de capital é natural ou um parceiro estratégico, se trouxer valor para o negócio não temos problema nenhum em fazer parceria. Isso vale para o Next, o Bitz e para a Ágora lá na frente, está no radar”, disse a jornalistas.

Lazari destacou que o Next vem crescendo, com número de clientes em alta e
já é um negócio independente do Bradesco, além de ter feito parceria
importantes como com a Disney e Avon.

CENÁRIO ECONÔMICO

As mudanças nas presidências da Câmara dos Deputados e do Senado trazem bons presságios para o trabalho do Congresso e a expectativa é que reformas e privatizações possam voltar a andar para ajudar na recuperação econômica, afirmou Lazari Júnior.

“É uma mudança muito importante e acreditamos que elas vão trabalhar paro andamento das reformas e privatizações, que precisam andar, não tem porque não andarem em 2021. Então, estamos trabalhando com cenário de economia voltando a se recuperar”, disse durante teleconferência com a imprensa.

Já sobre a vacinação contra o coronavírus, Lazari disse que ela não está andando com a rapidez que gostaria, mas que outras vacinas podem ser aprovadas e também há expectativa de alguma melhora no ritmo.

Segundo o presidente do banco, a partir de uma parceria com o Fleury, todos os funcionários do Bradesco no Brasil, cerca de 100 mil pessoas, foram testados, chegando ao índice de 12,4% infectados com covid-19. Lazari também disse que devem estimular a vacinação entre os funcionários, seguindo o cronograma nacional previsto.

REDUÇÃO DE AGENCIAS

Depois de o banco já ter fechado 400 agências no passado, o executivo ainda disse que o trabalho de encontrar sobreposições de agências e transformá-las deve continuar este ano em outras regiões do Brasil, mas sem estimar um número de fechamentos, que já foi forte em 2020.

“Esse trabalho não termina, podemos aglutinar agências que estão muito próximas uma da outra. Porque a gente precisa ter 14 agências na Avenida Faria Lima, por exemplo? Tinha agência a 50 metros só uma da outra, não faz sentido”, afirmou.

Lazari disse que esse trabalho já foi feito em grandes corredores no Sudeste e Sul do Brasil e que ser feito agora nas regiões Centro-Oeste e Norte, junto com o crescimento da digitalização dos clientes, que acelerou com a pandemia.

O presidente do Bradesco também afirmou que contratos de aluguéis de agências foram renegociados e que deixaram imóveis cujos proprietários não abriram mão do reajuste pelo IGP-M, que teve uma forte alta em 2020.

CARTEIRA DE CRÉDITO

Em relação a carteiras de crédito, Lazari disse que após o banco decidir tomar menos risco e ter preço mais justo para operações para empresas, o crescimento da carteira de crédito para empresas deve retomar o crescimento, destacando que as pequenas e médias empresas continuarão a ser muito fortes.

A expectativa ainda é que o crédito imobiliário, o crédito para veículos, o crédito consignado e o crédito pessoal devem continuar fortes em 2021.

O banco anunciou, em seu guidance para este ano, que a carteira de crédito expandida deve subir de 9% a 13%. Já a margem com clientes deve ficar entre 2% e 6% em 2021, enquanto a receita de prestação de serviços deve subir de 1% a 5%.

As despesas operacionais, por sua vez, devem recuar de 5% a 1%, enquanto o resultado das operações de seguros, Previdência e Capitalização devem crescer de 2% a 6%, depois de terem tido forte queda em 2020, de 18,1%.

AÇÕES EM ALTA

Nesta quinta-feira, as ações do Bradesco estiveram entre as maiores altas do Ibovespa após a divulgação dos resultados do quarto trimestre. Às 17h00 (horário de Brasília), os papéis primários (BBDC3) e preferenciais (BBDC4) do banco subiam 3,33% e 3,32%, e eram negociados a R$ 22,94 e R$ 26,09.

Em relatório, o BTG Pactual disse que o lucro gerencial registrado pelo banco no quarto trimestre veio melhor do que o esperado pelos seus analistas e pelo mercado, além de ganhos com tesouraria e com operacionais com o fechamento de 400 agências no período.

“O Bradesco está cortando na própria carne e os resultados mostram que queda nos custos operacionais, aumento de empréstimos e forte recuperação das taxas, apesar de resultados decepcionantes em seguros. Em geral, este foi o melhor quarto trimestre entre os grandes bancos brasileiros que cobrimos”, destacaram Eduardo Rosman e Thomas Peredo, em relatório.

Com isso, os analistas aumentaram a estimativa de lucros para 2021 em 10% acima do modelo do BTG, para algo entre R$ 26 bilhões e R$ 27 bilhões e avaliaram o banco como a principal aposta para o setor financeiro brasileiro, junto com Itaú, reiterando a recomendação de compra das ações da companhia.