Bolsonaro volta a ter mais aprovação que reprovação, diz XP/Ipespe

192
Presidente Jair Bolsonaro durante encontro com lideranças empresariais e cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Industrial São Paulo. (Foto: Alan Santos/PR)

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo, 14 de setembro de 2020 – A taxa de aprovação do presidente Jair Bolsonaro ficou acima da taxa de reprovação pela primeira vez desde maio de 2019, atingindo 39%, ante 37% no mês passado, segundo pesquisa conduzida pela XP e pelo Ipespe. A taxa de aprovação inclui pessoas que consideram o governo ótimo ou bom.

O levantamento mostrou também que a taxa de rejeição – que inclui as pessoas que consideram o governo ruim ou péssimo – diminuiu de 37% para 36%, a menor desde agosto do ano passado. Os que consideram a atual administração regular aumentaram de 23% para 24%, e os indecisos passaram de 3% para 2%.

Foi a quinta vez consecutiva em que houve aumento no grupo que aprova o governo e redução no que reprova. Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, entre os dias 8 e 11 de setembro. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais (pp).

A expectativa dos entrevistados para o restante do mandato de Bolsonaro é ótima ou boa para 40% – voltando a níveis observados em fevereiro, antes das medidas de isolamento social decorrentes da pandemia de covid-19, mas ainda longe do pico de 63% observado em março de 2019.

A avaliação positiva dos governadores, que atingiu um pico de 44% em abril – quando entraram em vigor as restrições à circulação decorrentes da pandemia de covid-19 – e entrou em declínio a partir do final de maio, teve uma leve recuperação, com a taxa de aprovação aumentando de 33% para 34%. A taxa de reprovação, porém, também aumentou em 1 pp, a 27%.

No caso do Congresso, a taxa de aprovação caiu de 14% para 13%, distanciando-se do pico de 21% registrado em abril, enquanto a taxa de reprovação aumentou de 37% para 38%.