Bolsonaro diz que auxílio emergencial pode durar “três, quatro meses”

185
Os presidentes da República, Jair Bolsonaro e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, fazem declaração à imprensa no Planalto. (Foto: Carolina Antunes/PR)

Brasília – O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira (11) durante um evento no Maranhão que o auxílio emergencial, o qual ele reiterou ainda não ter valor definido, “estudamos a extensão por mais alguns meses do auxílio emergencial”, afirmou.

“Pode não ser a partir de março, três ou quatro meses. Está sendo acertado entre o Executivo e o Parlamento também. Temos que ter responsabilidade fiscal. Não basta apenas conceder mais um período de auxílio emergencial. O comércio tem que voltar a funcionar. Tem que acabar com essa história de fecha tudo”, disse o presidente.

Bolsonaro disse ainda que caso a d´ivida do Brasil aumente emd ecorrência do auxílio “o Brasil pode perder crédito. Aí a inflação vem, a dívida já está em R$ 5 trilhões, e aí vem o caos. E ninguém quer isso aí”, afirmou, reiterando que o auxílio não pode ser eterno.