Bolsa sobe e dólar cai em dia volátil e de incertezas econômicas

São Paulo – O Ibovespa fechou em alta puxado pelas ações da Vale, siderúrgicas e o bom resultado da balança comercial, e se descolou das bolsas em Nova York que operaram todo o dia em queda. Na sessão de hoje, a Bolsa chegou a apresentar volatilidade entre perdas e ganhos, mas firmou posição no meio tarde e encostou nos 123 mil pontos. O principal índice da B3 encerrou o pregão com ganho de 0,86%%, aos 122.937,87 pontos.

O analista José Costa Gonçalves, da Codepe Corretora, afirmou que as ações das empresas ligadas às commodities somado aos dados favoráveis da balança comercial [saldo positivo de US$23,038 bilhões do início de janeiro até 16 de maio, ante superávit de US$ 15,793 bilhões em igual período de2020] divulgados pelo Ministério da Economia puxaram para cima o Ibovespa.

As ações da mineradora Vale (VALE3) subiram 2,62%; os papéis das siderúrgicas Usiminas (USIM5) avançaram 1,57%, CSN (CSNA3) aceleram 3,00% e Gerdau (GGBR4) registram alta de 3,47%.

Para a equipe da Terra Investimentos, o mercado internacional segue em queda com “expectativa da ata do Fed [Federal Reserve, banco central norte-americano] nos Estados Unidos para quarta-feira, além da preocupação com possível aumento de casos e novas variantes do coronavírus”, afirma.

Em Nova York, as bolsas desaceleraram a queda perto de fechamento. Nasdaq caiu 0,38%; Dow Jones perdeu 0,16% e S&P 500 baixou 0,37%.

Na avaliação de Vicente Matheus Zuffo, fundador e CIO da Chess Capital, o relatório Focus divulgado pelo Banco Central (BC) esta manhã pode ter favorecido o índice. O mercado financeiro revisou as projeções para a economia brasileira para 2021, de 3,21% para 3,45%.

“Essa estimativa pode ter contribuído para a melhora do índice, apesar de não ser novidade porque as casas de apostas já tinham revisado o PIB (Produto Interno Bruto) para cima na sexta-feira com o IBC-Br [índice de atividade econômica do Banco Central teve queda de 1,59% em março de 2021 comparado com fevereiro].

O fundador e CIO da Chess Capital comentou que “estamos em um humor melhor por conta dos bons números de atividade [econômica], mas afirma que se as bolsas norte-americanos caírem mais de 2%, “contaminarão aqui também”.

O estrategista de ações Filipe Villegas, da Genial Investimentos, alertou para a preocupação dos investidores, “o tema inflação ainda deve incomodar muito o mercado, trazendo volatilidade e incertezas”. E comentou que nesta semana, os investidores devem ficam atentos à “ata do Fed para checar qualquer discussão sobre aceleração inflacionária como sinais de uma redução para compra de ativos”.

Em relação à reforma administrativa, o relator Darci de Matos (PSD-SC) leu o parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara dos Deputados. Os investidores ficam atentos ao detalhamento do plano de trabalho do texto sobre a reforma tributária.

Na CPI da covid, amanhã será ouvido o ex-ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e na quarta-feira o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, depoimentos que devem agitar a semana.

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,11%, cotado a R$ 5,2660 para venda. O dia foi de volatilidade e a divisa passou a maior parte do dia operando perto da estabilidade, entre perdas e ganhos. No período da tarde que a moeda norte-americana firmou em queda, porém, sempre perto do zero a zero.

As incertezas globais predominam e trazem incertezas aos investidores. Fatores internos, como a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pandemia, que ouvirá pessoas importantes essa semana, e fatores externos, como os novos casos de coronavírus Taiwan, Cingapura e a piora da situação na India, além de dados econômicos na China deixam os investidores mais pensativos sobre a situação dos países.

“A preocupação maior é que os casos estejam relacionados a nova cepa que surgiu na India. Este evento cria preocupação para o crescimento econômico da região asiática. Na China foram divulgados indicadores positivos, mas alguns abaixo do esperado”, destacou Pedro Galdi, analista de investimentos da Mirae Asset.

Na avaliação de analistas, as oscilações refletem a volatilidade esperada para esta semana, já que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pandemia ouvirá nomes importantes, como o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Dados econômicos e da covid pelo mundo também podem pesar.

O aumento dos casos de covid-19 em Cingapura e Taiwan e os dados robustos – mas aquém das expectativas – sobre a produção industrial e as vendas no varejo da China enviam sinais mistos no início de uma semana que tem tudo para ser volátil.

“A semana promete forte volatilidade e amplitude para a moeda, com diversos indicadores e eventos importantes”, adverte Jefferson Rugik, da Correparti Corretora de Câmbio.

“Lá fora teremos a divulgação da ata do Fed e aqui a semana será agitada com os possíveis avanços das reformas tributária e administrativa, votação da MP da Eletrobrás, e da CPI da covid, com os depoimentos do ex-chanceler Ernesto Araújo e de Eduardo Pazuello”, salienta ele.

De acordo com relatório da Terra Investimentos, “no Brasil, mercado segue de olho na CPI da Covid, MP da Eletrobrás e reformas. Na CPI da Covid, quarta é dia do Pazuello, que recebeu na sexta o direito de ficar calado, pelo ministro Ricardo Lewandowski, do STF, para questões que possam incriminá-lo”, explicou o documento.

“Na reforma tributária, Arthur Lira [presidente da Câmara dos Deputaods] deseja dividir a proposta com o Senado e promete detalhar esta semana o plano de trabalho do texto. Já a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara discute hoje o parecer do deputado Darci de Matos sobre a reforma administrativa. Sobre o Orçamento, líderes do Congresso se reúnem hoje para discutir a possibilidade de votar vetos presidenciais e projeto de lei que trata do remanejamento de verbas do Orçamento nesta quinta-feira”, acrescentou o relatório da Terra.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) fecharam em leve queda na esteira das reuniões entre analistas e economistas do mercado com diretores do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC).

Como resultado, o DI para janeiro de 2022 encerrou o dia com taxa de 4,940%, de 4,935% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 6,73%, de 6,75%; o DI para janeiro de 2025 ia a 8,19%, de 8,25% antes; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 8,77%, de 8,83%, na mesma comparação.

A aceleração da inflação voltou a incomodar os investidores, que puniram o setor de tecnologia, fazendo com que os principais índices do mercado de ações norte-americano terminassem a primeira sessão da semana em queda.

Confira a variação e a pontuação dos índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: -0,16%, 34.327,79 pontos

Nasdaq Composto: -0,38%, 13.379,00 pontos

S&P 500: -0,25%, 4.163,29 pontos