Bolsa cai e dólar fecha quase estável em dia de cautela

251

São Paulo – O Ibovespa fechou em queda de 1,02%, aos 82.173,21 pontos, com investidores cautelosos antes da divulgação do vídeo da reunião ministerial que foi indicado pelo ex-ministro Sergio Moro como prova de que o presidente Jair Bolsonaro interferiu na Polícia Federal (PF). O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, levantou o sigilo do vídeo instantes depois do fechamento do mercado. O volume total negociado foi de R$ 21,7 bilhões.

Apesar da cautela ao longo do pregão em função da cena política e da fraqueza de Bolsas no exterior, o índice fechou em alta 5,95% na semana.

O vídeo confirmou a afirmação atribuída ao presidente de que tentou trocar a sua “segurança” no Rio de Janeiro para proteger a sua família. Bolsonaro ainda afirmou que quer o País armado e que “é fácil impor uma ditadura” no Brasil. Após a divulgação dos primeiros trechos, o Ibovespa futuro anulou perdas e passou a subir.

Em um primeiro momento, o analista político da Levante Investimentos, avaliou que o vídeo não trouxe “nada demais”, sendo que parte dele já havia vazado na imprensa. O economista-chefe do banco digital Modalmais, Alvaro Bandeira, também acredita que o vídeo não deve trazer grandes novidades capazes de mudar o cenário, embora veja ainda ruídos na cena política com investigações em andamento.

Hoje de manhã, o ministro do STF já havia tomado outras decisões envolvendo Bolsonaro, enviando para a Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crimes apresentadas por partidos e parlamentares, que pedem novos desdobramentos na investigação sobre a suposta interferência PF. Entre os pedidos estão o de depoimento de Bolsonaro, e a busca e apreensão do celular dele e de seu filho, Carlos Bolsonaro, para perícia.

No exterior, as Bolsas operaram mistas em meio ao aumento da tensão entre China e Estados Unidos, depois que Pequim anunciou que deve impor uma nova lei de segurança nacional sobre Hong Kong. Porém, os mercados acionários têm mostrado resiliência em meio a notícias de reaberturas de economias, estímulos e vacinas contra o coronavírus.

Entre as ações, as maiores quedas do índice foram Cogna (COGN3 -7,23%) e das Lojas Renner (LREN3 -6,52%), que divulgaram balanços trimestrais mais fracos que o esperado, além da Hering (HGTX3 -7,54%). Na contramão, as maiores altas foram da Eletrobras (ELET3 8,05%; ELET6 5,44%) e da Sabesp (SBSP3 6,18%).

Na segunda-feira, as Bolsas norte-americanas devem ficar fechadas em função de feriado, o que deve reduzir a liquidez da Bolsa brasileira.

O dólar comercial fechou com leve queda de 0,08% no mercado à vista, cotado a R$ 5,5750 para venda, engatando o terceiro pregão de sinal negativo, em sessão de forte volatilidade acompanhando o exterior e aqui, com investidores à espera do vídeo da reunião ministerial entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, em abril no qual foi divulgado após o fim do pregão. Na semana, a moeda recuou 4,55%, na menor queda percentual semanal no ano.

“A ansiedade do mercado na iminência da decisão do [ministro do Supremo Tribunal Federal] Celso de Mello sobre o sigilo da reunião ministerial passou a estimular estratégias de recomposição de compras em meio à retomada da cautela no mercado doméstico”, comenta o analista de câmbio da Correparti, Ricardo Gomes Filho.

Ele reforça que o movimento de mínima, que levou a moeda a R$ 5,54, foi impulsionado pelas declarações do diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Fábio Kanczuk, reafirmando que a autoridade monetária “está muito bem preparada” para corrigir distorções no mercado cambial estimulou o movimento de “desmonte de posições compradas”, diz.

O analista acrescenta que a valorização do peso mexicano em relação ao dólar corroborou para a oscilação em queda da moeda no mercado local. Lá fora, porém, os mercados refletiram as preocupações com a relação entre Estados Unidos e China, que voltou a se acirrar, e pode piorar após o governo chinês sinalizar que pretende adotar uma nova lei de segurança nacional para Hong Kong.

Na semana que vem, analistas reforçam que o mercado doméstico deve digerir o conteúdo do tão aguardado vídeo. Após a divulgação do material pelo STF, o contrato futuro para junho foi às mínimas no patamar de R$ 5,52.

Na segunda-feira, com o feriado nos Estados Unidos, Reino Unido e no estado de São Paulo – apesar do funcionamento da bolsa brasileira (B3) – as apostas são de liquidez reduzida. “A sessão deverá ser morna e com menos liquidez, deve forçar um movimento de volatilidade”, comenta o diretor de uma corretora nacional.