Bolsa cai e dólar fecha quase estável ainda digerindo Fed

Gráfico

São Paulo – O Ibovespa encerrou os negócios em queda de 0,26%, aos 128.427,98 pontos. O índice vinha em suave recuo, mas perto do fechamento acentuou a retração devido à fala da diretora do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), Michelle Bowman, sinalizando que a inflação nos Estados Unidos pode continuar elevada por um prazo maior.

A fala de mais um integrante do Fed, no meio da tarde, chegou a acentuar um pouco da queda. O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de Atlanta, Raphael Bostic, afirmou que autoridade monetária precisará elevar a taxa de juros até o fim de 2022. Logo após a declaração o índice voltou a diminuir a perda.

O operador de renda variável José Claudio de Oliveira, da Commor Corretora, comentou que a declaração do membro do Fed “teve um efeito um pouco negativo”. O índice chegou a cair mais de 0,40% com a fala de Bostic.

Oliveira comenta que o Ibovespa está acompanhando o mercado lá fora”. Em Nova York, as bolsas operam em sentido misto. No período da manhã, a alta no Ibovespa foi sustentada pelo bom desempenho das commodities, principalmente Vale e Petrobras, e bancos.

Para Cristiano Fernandes, diretor da Euroinvest, o mercado antecipou na véspera o aumento da tributação sobre os bancos. “O mercado se assusta e agora está se recuperando”.

Fernandes comenta que “estrangeiros estão comprando ações de bancos e Petrobras”.

As ações do setor financeiro subiram pela manhã e depois passaram a cair. Bradesco (BBDC3 e BBDC4) perderam 0,17% e 0,44%, respectivamente. Itaú (ITUB4) e Santander (SANB11) baixaram 0,71% e 0,94%, nessa ordem.

Com a alta do minério de ferro e petróleo, as commodities tiveram forte valorização-Vale (VALE3) avançaram 1,49% e Petrobras (PETR3 e PETR4) subiram 0,23% e 0,68%.

O estrategista Filipe Villegas, da Genial Investimentos, comenta que o banco central dos Estados tem um grande desafio pela frente.” Eles não vão falar que os estímulos serão retirados, deve-se observar os balanços do Fed, se está mantendo a trajetória de compra de títulos”.

A MP aprovada ontem pelos senadores aumenta a alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras, de 20% para 25% entre 1 de julho e 31 de dezembro deste ano. Objetivo da proposta é compensar a redução das alíquotas de impostos sobre o diesel e o gás de cozinha. O texto vai para a Câmara e tem prazo até a próxima segunda-feira para ser votado, caso contrário perde a validade.

“Acredito que já era algo precificado pelo mercado”, afirma o estrategista da Genial Investimentos. Mas ressalta que o tema deve ser observado na sessão de hoje. Ele acrescenta que a pressão sobre o setor financeiro na véspera foi em relação à reforma tributária.

Os analistas da CM Capital afirmam que “a MP está na linha do que é desenhado pelo governo para alterações tributárias. Com isso devemos aguardar alterações no sistema tributário”.

O dólar comercial fechou com ligeira queda de 0,04%, a R$ 4,9640 para venda, abaixo do nível de R$ 5,00 pelo segundo pregão seguido após mais de um ano, em sessão de forte volatilidade da moeda norte-americana aqui e no exterior, com investidores ainda reagindo às falas do presidente do Fed e perto do encerramento, do do presidente da unidade da autoridade monetária de Atlanta, Raphael Bostic, que vê uma alta da taxa de juros no país no fim do ano que vem.

“O dólar operou bastante volátil na sessão diante da perspectiva de uma política monetária mais contracionista no Brasil e mais moderada nos Estados Unidos, com investidores ainda digerindo o discurso de ontem do Powell”, comenta a analista da Toro Investimentos, Paloma Brum.

Ela acrescenta que as falas de dirigentes do Fed à tarde, como a de Bostic, levaram o mercado a reagir, já que ele – que tem direito a voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) este ano – vê que a “inflação temporária” pode durar mais tempo do que o previsto pelo Fed. “Na minha visão, isso mostra que os dirigentes do BC norte-americano já começam a vislumbrar que a alta na inflação consiste em algo de fato persistente e não temporário como defendem até então”, avalia.

Brum reforça que Bostic antecipou a previsão para o início do ciclo de aperto monetário nos Estados Unidos, prevendo uma elevação da taxa básica de juros no fim de 2022 e outras duas em 2023. Na semana passada, o presidente da unidade do Fed de Saint Louis, James Bullard, também disse que via uma alta da taxa de juros no fim do ano que vem, o que agitou os mercados.

Para o economista-chefe do banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, o tom mais duro (“hawkish”) da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) ontem e as manifestações de membros do Fomc deixaram “muita volatilidade no ar”, refletindo ao longo da sessão. “O real voltou a perder um pouco, mas o caminho, no curto prazo, será para baixo. Sem exagero, olhai as condições do mercado na medida em que o ano avança”, pondera. O dólar acumula queda de mais de 4% frente ao real em 2021.

Amanhã, com a agenda de indicadores esvaziada, a analista da Toro diz que o mercado ainda pode precificar os tons dos bancos centrais, além das atenções se voltarem às declarações de outros dirigentes do Fed. A terceira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano no primeiro trimestre, se muito diferente das anteriores, poderá fazer preço.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) fecharam em leve alta em um pregão no qual os investidores dividiram as atenções entre o vai e vem do dólar e os ajustes às sinalizações do Copom em relação aos próximos passos da entidade em relação à taxa Selic.

Com isso, o DI para janeiro de 2022 encerrou o dia com taxa de 5,77%, de 5,73% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 7,310%, de 7,250%; o DI para janeiro de 2025 ia a 8,25%, de 8,19% antes; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 8,63%, de 8,64%, na mesma comparação.

Os principais índices do mercado de ações norte-americano abandonaram parte dos ganhos nos minutos finais da sessão, fazendo com que apenas o Nasdaq encerrasse o dia em alta, em um momento no qual os investidores lutam para definir um caminho a seguir diante de dúvidas sobre o curso da política monetária nos Estados Unidos.

Confira a variação e a pontuações dos índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: -0,21%, 33.874,24 pontos

Nasdaq Composto: +0,13%, 14.271,70 pontos

S&P 500: -0,10%, 4.241,84 pontos