Bolsa cai e dólar após conflitos entre os Estados Unidos e Irã

419

São Paulo – O Ibovespa reduziu as perdas no final da sessão, mas não evitou a queda após os conflitos entre os Estados Unidos e o Irã. O governo norte-americano confirmou que foi o responsável por um ataque nesta madrugada que matou o principal comandante militar do Irã, em Bagdá (Iraque). Com isso, o Ibovespa encerrou com queda de 0,73% aos 117.706,66 pontos. O volume financeiro foi de R$ 29,1 bilhões.

“A tensão geopolítica em forte alta estraga o bom humor dos mercados com movimentos generalizados de aversão ao risco alimentando a queda das bolsas”, comenta a equipe econômica da Commcor.

Segundo os analistas, investidores devem monitorar “de perto” a possibilidade de um conflito armado de grandes proporções entre os países. “Risco que, se confirmado, pode desencadear uma correção expressiva nos principais mercados internacionais”, ressaltam.

Entre as maiores altas do Ibovespa, as ações PNA da Brakem (BRKM5) subiram 4,44%, enquanto as ações ordinárias da Cyrela (CYRE3) avançaram 3,50% e as ações ordinárias da Cosan (CSAN3), registraram valorização de 2,25%. Por outro lado, a maior queda foi da ação PN da Azul (AZUL4) com queda de 3,46%, enquanto a ação PN da Gol (GOLL4) recuou 3,41% e as ações ordinárias da Rumo (RAIL3) caíram 2,91%.

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,77%, sendo negociado a R$ 4,0560 para venda. A moeda norte-americana seguiu em alta aqui e no mercado externo de olho no conflito entre Estados Unidos e Irã, após os iranianos terem prometido retaliação.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, autorizou um ataque aéreo que matou o líder de uma ala da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, Qassem Soleimani, aumentando as tensões entre os dois países.

Mais cedo, o analista da Toro Investimentos, Thiago Tavares, reforçou que o movimento de aversão ao risco que toma conta dos ativos globais em meio à escalada da tensão geopolítica entre Estados Unidos e Irã no qual fortalece o dólar no exterior e frente às principais moedas de países emergentes. “Estivemos até pior na abertura [quando a moeda chegou à R$ 4,07] com a tensão dos investidores com o ataque dos norte-americanos ao Irã. Agora, o mercado deu uma sossegada”, diz.

Além da questão geopolítica, pela manhã saíram dados da atividade industrial dos Estados Unidos pelo índice do Instituto de Gerência e Oferta (ISM, na sigla em inglês) no qual caiu para 47,2 pontos em dezembro, ante resultados de 48,1 pontos em novembro (em dado revisado). A expectativa dos analistas era de alta a 49,0 pontos. Foi o menor resultado desde junho de 2009 (46,3 pontos).

Para os analistas Capital Economics, o dado sugere que, pelo valor nominal, a economia norte-americana está “à beira de uma recessão”. Porém, eles dizem que é difícil “dedicar atenção” ao ISM já que os números estão em desacordo com outras evidências da pesquisa.