Bolhas de ativos existem em alguns mercados, diz Draghi

118

Por Gustavo Nicoletta

Mario Draghi
O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi. (Foto: Divulgação/BCE)

São Paulo, 24 de outubro de 2019 – O Banco Central Europeu (BCE) considera que a eurozona está livre de bolhas relevantes nos preços de ativos, mas enxerga preços inflados em alguns segmentos específicos, como no de títulos de dívida de alto risco, afirmou o presidente da instituição, Mario Draghi.

“Não vemos bolhas e, quando vemos bolhas, são locais. Por exemplo: alguns segmentos do mercado de dívida, de alto risco. Não é um problema grane na Europa, mas temos que assegurar que bancos não invistam nesses mercados como faziam antes da crise”, disse ele durante sua última entrevista coletiva à frente do BCE.

Draghi disse que a forma de combater a formação de bolhas nos preços desses títulos é a adoção de políticas macroprudenciais e de supervisão.

Ele indicou, no entanto, que mesmo assim ainda sobrariam algumas áreas em que a detecção de bolhas poderia ser difícil.

“Muito deste perigo, desta busca por rendimento, acontece no setor não bancário e mais especificamente, no shadow banking”, disse Draghi, referindo-se a instituições financeiras que oferecem empréstimos, mas não fazem parte do segmento bancário.

Um exemplo do shadow banking no Brasil seriam fundos de investimentos em direitos creditórios (FIDC), certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e certificados de recebíveis do agronegócio (CRA).

“Infelizmente o perímetro das políticas macroprudenciais não inclui estes setores. Temos alguma visibilidade sobre o que acontece no setor bancário, que ainda é 80% da intermediação do crédito nesta parte do mundo, mas não temos visibilidade ali”, afirmou.