Biden pede que Senado aja rapidamente para aprovar pacote de auxílio

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Foto: Casa Branca

São Paulo — O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu que o Senado norte-americano aja rapidamente e se decida sobre o pacote de auxílio ao covid-19 de US$ 1,9 trilhão depois que a Câmara dos Representantes do país aprovou-o na madrugada de sábado.

“Agora o projeto vai para o Senado dos Estados Unidos, onde espero que receba uma ação rápida. Não temos tempo a perder”, afirmou ele em anúncio na Casa Branca.

Biden ressaltou que, agora, resta apenas um passo para enviar US$ 1.400 para muitos norte-americanos, além de estender os auxílios-desemprego que estão perto da data de expiração.

“Se agirmos com rapidez, decisão e ousadia, podemos finalmente superar esse vírus, podemos finalmente colocar nossa economia em movimento novamente”, disse Biden. “O povo deste país sofreu muito por muito tempo. Precisamos aliviar esse sofrimento.”

Os legisladores provavelmente alterarão a legislação antes de aprová-la no Senado, que a enviará de volta à Câmara para aprovar o projeto de lei alterado antes que chegue à mesa do presidente. Os democratas estão correndo para terminar o pacote antes de 14 de março, quando certos tipos de assistência federal ao desemprego expirarão.

O plano de ajuda aumentaria e estenderia os benefícios dos desempregados, forneceria US$ 350 bilhões aos governos estaduais e locais, enviaria US$ 1.400 a muitos norte-americanos e financiaria a distribuição de vacinas, entre outras medidas.

O Congresso aprovou uma série de medidas de alívio desde o início da pandemia, e os democratas dizem que o último pacote ajudará a apoiar o retorno do país à normalidade.

Em grande parte, os republicanos se alinharam contra a legislação, considerando-a muito grande e perdulária – em particular suas disposições para financiamento de escolas e governos estaduais e locais – à medida que a economia mostra sinais de recuperação.

Um esforço para aumentar o salário mínimo para US$ 15 por hora até 2025 como parte do pacote de ajuda foi posto em dúvida após uma decisão do parlamentar do Senado na quinta-feira. O parlamentar apartidário disse que o esforço não estaria de acordo com as regras da Câmara para legislação aprovada em processo denominado conciliação – que permite que um projeto de lei evite uma possível obstrução e seja aprovado com 51 votos, mas exige que seja estreitamente vinculado ao orçamento.

Os legisladores progressistas rapidamente pediram aos democratas que ignorassem a decisão do parlamentar ou abolissem a obstrução para aumentar o salário, ambas as medidas que Biden tem resistido. Enquanto isso, os democratas do Senado começaram a criar uma maneira de estimular as empresas a aumentar a taxa que pagam aos trabalhadores por meio de penalidades fiscais e incentivos para se adequar às regras de reconciliação do Senado.