Biden e Von der Leyen querem integração energética da Ucrânia com a UE

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen; o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel / Foto: UE

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, tiveram uma reunião em que estabeleceram o objetivo de garantir a “integração progressiva” da Ucrânia nos mercados de gás e eletricidade da União Europeia, em meio às tensões entre os ucranianos e a Rússia.

“Os Estados Unidos e a União Europeia estão trabalhando juntos para fornecer um fornecimento constante, suficiente e oportuno de gás natural para a UE de diferentes fontes ao redor do mundo para evitar cortes no fornecimento, incluindo aqueles que poderiam resultar de uma invasão russa da Ucrânia”, informou a Casa Branca num comunicado.

A escalada da tensão na Ucrânia desencadeou pânico sobre possíveis cortes no fornecimento de gás para a Europa a partir da Rússia e que atravessa precisamente o território ucraniano. É por isso que, segundo Biden e Von der Leyen, tanto a União Europeia quanto os Estados Unidos afirmam compartilhar o objetivo de segurança energética na Ucrânia.

“Estamos comprometidos em trabalhar em conjunto para superar os desafios atuais de segurança da oferta e dos altos preços nos mercados de energia”, diz o comunicado assinado pelos dois mandatários.

O comunicado ainda apresenta opções alternativas de fornecimento de energia para Europa além dos vindos da Rússia. A nota informa que os Estados Unidos dizem estar colaborando com governos e operadores de mercado no fornecimento de volumes adicionais de gás natural para o continente europeu.

“Os Estados Unidos já são o maior fornecedor de gás natural liquefeito (GNL) para a UE. Estamos colaborando com governos e operadores de mercado no fornecimento de volumes adicionais de gás natural para a Europa de diversas fontes em todo o mundo”, diz o comunicado.