Biden diz na Otan que defesa da Europa é uma obrigação sagrada

O presidente norte-americano, Joe Biden, caminha ao lado de fora da Casa Branca / Foto: Casa Branca

São Paulo – Em uma mudança radical de posicionamento, o presidente norte-americano, Joe Biden, disse à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que a defesa da Europa, da Turquia e do Canadá é uma obrigação sagrada. A declaração acontece no âmbito da cúpula da aliança, que acontece hoje em Bruxelas.

“Eu acredito – e eu disse isso durante toda a minha carreira e os quatro anos que estive fora, quando decidi me candidatar à presidência novamente – que a Otan é, o artigo 5 é uma obrigação sagrada”, disse ele, referindo-se à promessa de defesa coletiva da aliança transatlântica.

Ao contrário de seu antecessor, Donald Trump, que ameaçou retirar os Estados Unidos da Otan diversas vezes, Biden afirmou hoje que a aliança é uma prioridade para o país, em um novo sinal de engajamento norte-americano.

“Mas quero deixar claro: a Otan é extremamente importante para os interesses dos Estados Unidos em si. Se não houvesse, teríamos que inventar uma. A Otan permite que os Estados Unidos conduzam seus negócios em todo o mundo de uma forma que nunca teria ocorrido se não fosse por ela”, afirmou Biden.

Segundo Biden, na cúpula de hoje, os países irão rever a agenda da Otan para 2030 e a expectativa é que novos investimentos sejam anunciados.

“Vamos rever a agenda da Otan para 2030, uma agenda ambiciosa para o futuro da Otan. E para fazer tudo isso, precisamos investir mais. E é exatamente isso que estamos fazendo com sete anos consecutivos de aumento dos gastos com defesa: US$ 260 bilhões extras na Europa e no Canadá”, afirmou.

Apesar de uma atmosfera de parceria renovada, a cúpula acontece em meio ao desafio de equilibrar as ameaças da China e da Rússia e como lidar com riscos em outros domínios, incluindo o mundo cibernético e espaço.