Biden deve discutir questões de armas, Ucrânia e Belarus com Putin, diz Casa Branca

O presidente norte-americano, Joe Biden, caminha em direção ao Salão Oval da Casa Branca / Foto: Casa Branca

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, espera discutir questões “difíceis” durante sua próxima reunião com seu homólogo russo Vladimir Putin, incluindo a Ucrânia e o incidente com o avião da Ryanair na Belaru, afirmou a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki.

“Esperamos que eles gastem um bom tempo discutindo uma estratégia de estabilidade e previsibilidade, que é o nosso objetivo na relação com a Rússia”, disse Psaki. “O presidente deverá falar do tratado de armas START, da Ucrânia, destacando seu apoio à soberania e integridade territorial ucraniana e ele também planeja conversar sobre Belarus e transmitir as graves preocupações que possui após o último incidente, como já fez publicamente.”

O encontro entre Biden e Putin acontecerá em Genebra no dia 16 de junho.

“O presidente Biden está se reunindo com Vladimir Putin por causa das diferenças de nossos países, não apesar delas. É uma oportunidade para levantar questões onde as temos e, novamente, avançar em direção a um relacionamento mais estável e previsível com o governo russo”, acrescentou Psaki.

Os dois líderes se encontrarão em meio a tensões crescentes depois de um pouso forçado provocado pela Belarus que levou à prisão de Roman Protasevich, um jornalista a bordo do avião que foi designado como extremista por Minsk. No entanto, Psaki afirmou que, até o momento, não há razões para acreditar que a Rússia esteja envolvida no incidente.

O novo tratado START é o único acordo de controle de armas ativo entre os Estados Unidos e a Rússia, tendo sido prorrogado por cinco anos em fevereiro. O acordo limita o número de ogivas nucleares estratégicas implantadas que qualquer país pode manter.