Biden assina sanções contra Rússia por interferência em eleições e atividades hacker

O presidente norte-americano, Joe Biden, sanciona projeto de lei / Foto: Casa Branca

São Paulo- O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou uma ordem executiva ampla sancionando a Rússia por interferir nas eleições norte-americanas e realizar ataques cibernéticos, entre outras “ações prejudiciais”, de acordo com a Casa Branca, em comunicado.

Sob o decreto, os Estados Unidos podem sancionar qualquer setor da economia russa. “A ordem executiva envia um sinal de que os Estados Unidos imporão custos de maneira estratégica e economicamente impactante à Rússia se ela continuar ou intensificar suas ações internacionais desestabilizadoras”.

Com a nova medida, as instituições financeiras dos Estados Unidos ficam proibidas de participar no mercado primário de títulos denominados em rublos ou não-rublos emitidos após 14 de junho de 2021 pelo Banco Central da Federação Russa.

Além disso, o Tesouro designou seis empresas de tecnologia russas que fornecem suporte ao programa cibernético dos Serviços de Inteligência Russa, e sancionou 32 entidades e indivíduos que realizam tentativas dirigidas pelo governo russo para influenciar a eleição presidencial dos Estados Unidos em 2020 e outros atos de desinformação e interferência.

O Tesouro também sancionou, em parceria com a União Europeia, Reino Unido, Austrália e Canadá, oito indivíduos e entidades associadas à ocupação e repressão em curso da Rússia na Crimeia, território ucraniano.

Ainda sob as novas medidas, os Estados Unidos anunciaram a expulsão de dez funcionários da missão diplomática russa em Washington, DC, incluindo representantes dos serviços de inteligência russos.

Os Estados Unidos também nomearam formalmente o Serviço de Inteligência Russo como o perpetrador da ampla campanha de espionagem cibernética que explorou a plataforma SolarWinds Orion e outras tecnologias de informação infraestruturas.

“O presidente assinou esta nova autoridade para confrontar o comportamento maligno contínuo e crescente da Rússia”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen.

“O Tesouro está aproveitando esta nova autoridade para impor custos ao governo russo por sua conduta inaceitável, inclusive limitando a capacidade da Rússia de financiar suas atividades e visando as capacidades cibernéticas maliciosas e disruptivas da Rússia.”

As sanções seguem um telefone esta semana entre Biden e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, no qual o presidente norte-americano registrou reclamações sobre a intrusão cibernética de Moscou, intervenção eleitoral e atividades na Ucrânia.

A Casa Branca disse que Biden fez um convite pessoal a Putin para se reunirem nos próximos meses. A Rússia ainda não aceitou o convite para a cúpula e provavelmente responderá às sanções dos Estados Unidos.